21 março 2009

NÉ LADEIRAS



Após ajudar a fundar, em 1974, a Brigada Victor Jara e colaborar posteriormente com os Trovante, Né Ladeiras integra, entre 1980 e 1982, um dos projectos mais inovadores da música portuguesa, participando na gravação dos álbuns "No Jardim da Celeste" (em 1981) e "Também Eu" (em 1982) que incluíam alguns dos maiores sucessos do grupo, como sejam "Natação Obrigatória" e "Salvé Maravilha". O primeiro trabalho a solo de Né Ladeiras, "Alhur", é editado em 1982 pela Valentim de Carvalho. O disco, um EP (ou Maxi-Single), composto por quatro temas da autoria de Miguel Esteves Cardoso (letras) e Né Ladeiras (músicas), regista a participação de Ricardo Camacho na produção e dos Heróis do Mar como músicos de estúdio. "Alhur" é um disco que fala de águas, desde as águas régias do pensamento às águas salgadas dos oceanos e das lágrimas. Né Ladeiras retribui, nesse mesmo ano, a colaboração com os Heróis do Mar, participando na mistura de dança incluída no maxi-single de "Amor", que se torna um grande êxito comercial. Em 1984 é editado pela Valentim de Carvalho o seu primeiro álbum, "Sonho Azul", com produção de Pedro Ayres Magalhães, que também assina as letras e partilha, com Né Ladeiras, a composição das músicas. O disco é dedicado a todas as pessoas que fizeram do cinzento um "Sonho Azul" e ao filho Miguel. Dos oitos temas, os que obtém maior notoriedade são: "Sonho Azul", "Em Coimbra Serei Tua" e "Tu e Eu". Inicia em 1985 um trabalho de pesquisa (processo característico da sua carreira a solo) sobre a actriz sueca Greta Garbo, a quem será dedicado o álbum seguinte ("Corsária"). Participa no Festival RTP da Canção de 1986 com "Dessas Juras que se Fazem", um inédito de Carlos Tê e Rui Veloso. Em 1988 integra o projecto Ana E Suas Irmãs, idealizado por Nuno Rodrigues - seu colega na Banda do Casaco e então director da editora Transmédia. O grupo concorre ao Festival RTP da Canção de 1988 com o tema "Nono Andar", sendo apresentado como um conjunto mistério. No entanto, Né Ladeiras não participa no certame, colaborando apenas na edição em single. Corsária" é editado pela Transmédia em finais de 1989 com produção e arranjos de Luís Cília. As músicas são compostas por si, sendo as letras da autoria da sua amiga Alma Om. O disco não obtém uma grande divulgação, principalmente porque a editora abre falência pouco tempo após a edição do disco. Entre Janeiro de 1993 e Outubro de 1994, Né Ladeiras grava, com produção de Luís Pedro Fonseca, o seu terceiro álbum, "Traz-os-Montes", uma produção da Almalusa com edição da EMI-Valentim de Carvalho, que resulta de dois anos de pesquisa de material relacionado com a música e a cultura tradicionais transmontanas (onde veio a descobrir raízes na família), nomeadamente as recolhas efectuadas por Michel Giacometti e por Jorge e Margot Dias. Com o seu quarto álbum, "Todo Este Céu", editado em 1997, pela Sony, Né Ladeiras realiza um sonho antigo: gravar um álbum dedicado às canções de Fausto, que se caracteriza por uma abordagem "muito próxima do lado místico do Fausto, mas também do seu lado interventivo, porque ele tem uma forma única de intervir, que em muitos casos continua actual e não se perdeu no tempo". [A Magia dos Anos 80]

DISCOGRAFIA


ALHUR [12"EP, EMI-VC, 1982]


SONHO AZUL [12"EP, EMI-VC, 1984]


SONHO AZUL [7"Single, EMI-VC, 1984]


CORSÁRIA [CD, Transmédia, 1988]


CORSÁRIA [LP, Transmédia, 1988]


SONHO AZUL [Reissue] [CD, EMI-VC, 1994]


TRAZ-OS-MONTES [CD, EMI-VC, 1994]


AO LONGO DE UM CLARO RIO DE ÁGUA DOCE [CD Single, Sony, 1997]


TODO ESTE CÉU [CD, Sony, 1997]


DA MINHA VOZ [CD, Zona Música, 2001]


SINHÔ [CD Single, Zona Música, 2001]


DEUSA MULATA [CD Single, Zona Música, 2001]


AO VIVO [CD, Zona Música, 2002]


ESSÊNCIA 1982-1983 [CD, iPlay, 2008]

COMPILAÇÕES


MÚSICA NOVA, MÚSICA NOSSA [LP, Vadeca, 1982]


MÚSICA NOVA [LP, EMI, 1984]


ESPANTA ESPÍRITOS [CD, Dínamo, 1995]


ESPANTA ESPÍRITOS [CD Single, Dínamo, 1995]

A CANTAR CON XABARIN 03 [2xCD, Boa Music, 1996]


VOZ & GUITARRA [2xCD, Farol Música, 1997]


BLITZ'97: OS MELHORES DE 97 [CD, EMI-VC, 1998]


FNAC ALMADA [CD, FNAC, 2002]


LUSO POP [CD, iPlay, 2008]

PRESS
Talhada do Céu, Luís Maio, Blitz nº211 de 15-11-1988 [CAPA]
Céu da Boca sem Fronteiras, Rafeal Gouveia, LP nº 8 de 21-12-1988
A Desaparecida, Amílcar Correia, Blitz nº371 de 10-12-1991
E a Banda da Casaca, Fernando Santos Marques, Blitz nº372 de 17-12-1991
Em Público, Luís Maio, Pop Rock nº 1484 de 30-03-1994
Sou Terrena, c/Vontade de dar o Salto, Luís Maio, Público nº1722, 23-11-1994
Para lá do Marão, Miguel Francisco Cadete, Blitz nº538 de 21-02-1995
Do Fundo da Alma, Claudia Galhós, Blitz nº539 de 28-02-1995
Para além do Céu e da Terra, António Pires, Blitz nº 650 de 15-04-1997
A Voz e o Autor, João Botas, Promúsica 06 de 06-1997
As Três do Palco Airado, Blitz nº 838 de 21-11-2000
Com que Vozes, António Pires, Blitz nº 898 de 15-01-2002
Da Sua Voz, João Carlos Callixto, Raio X nº 43 de 03-2002

3 comentários:

ctb disse...

falta a compilação galega Xabarin que tinha: Xutos, GNR, Né Ladeiras, etc...

ctb disse...

A Cantar Con Xabarín III/III (BOA/TVG)
2CD, 1996

Chula Gaiteira - Gaiteiros de Lisboa
Viva a Música! - Né Ladeiras
Voa, Voa - Quinta do Bill
Lúa Nacente - Vitorino
Pois é a Vida - Sérgio Godinho
Naquel Bar - Xutos & Pontapés
Astro da Bóla - Despe & Siga
Táse ben na Radio - Kussondulola
A Invención do Canto - Rui Veloso
Aí Ven Ela - Sitiados
Vídeo-Clip - Amarguinhas
Corpos - GNR
(...)

Noutras edições "Xabarín" há, pelo menos, temas dos Kussondulola e Amarguinhas.

ctb disse...

também falta as colectâneas "Espanta Espíritos" e "A Voz e a Guitarra". O projecto "Cantigas de Amigos" não sei se poderá ser considerada uma compilação.