28 março 2009

PRIMUS INTER PARES



Os Primus Inter Pares apareceram em princípios de 1989 da vontade de dois músicos de Coimbra - o João Paulo, baterista dos M'as Foice e o Gabriel, que tinha tido uma breve passagem pelo lugar de baixista dos Sexto Sentido. Com o tempo, apareceu o Pato e a Diana e o que não passava de um projecto para "desenvolver ideias e ver o que dá" transformou-se numa banda com bons trunfos para jogar - uma secção rítmica entrosada, uma guitarra capaz do melhor e uma voz cristalina, sem paralelo entre as novas bandas, que dava o necessário contrapeso ao pop másculo praticado pelo resto do grupo. No princípio tudo foram rosas - apuramento para o 6º Concurso de Música Moderna do Rock Rendez Vous e paraa a 2ª MMM de Coimbra, bem como uma boa aceitação por parte da critica, crescimento rápido de um culto à sua volta. Dessa altura fica a memória dum concerto sem publicidade feito com os M'as Foice que esgotou a Cooperativa Ágora, ou as excursões de fãs que se deslocavam a Lisboa para ver as actuações no RRV. Depois com o afastamento das finais dos concursos, com o abandono do Cairo (segundo guitarrista, que havia entrado para a banda em meados de 1989 ) por motivos profissionais e com a mudança de Pato e Diana para Lisboa por motivos académicos, os Primus entraram num período de hibernação a nível de concertos de que só saíram duas vezes durante 1990, uma delas para fazer a primeira parte dos GNR. No entanto, os ensaios continuam e temas novos vão aparecendo. Os Primus, no fundo, são mais uma das bandas a sofrer do síndroma da interioridade que vota ao esquecimento os grupos afastados do circuito de bares existentes nas duas capítais. Perdida uma certa ingenuidade inicial, os Primus Inter Pares apenas esperam uma oportunidade para voltar à ribalta, porque o objectivo, esse, continua a ser o mesmo - serem Primeiros Entre Iguais. [Artur Abreu]

PRESS
Depois dos Factos, João Pedro Costa, LP nº 18 de 02-03-1989
Os Outros Pimus Inter Pares, Paulo Vaz, Luso Mania! nº12, 03-1989
Salvé Maravilha, Artur Abreu, LP nº25 de 19-04-1989
A Bela Adormecida, Artur Abreu, Ritual nº3 de 10-1993

1 comentários:

Anónimo disse...

O Gabriel é o maior!!!! ADorva esse tipo!!! Que será feito dele???