21 março 2009

QUADRILHA



Formada em 1991, a Quadrilha é formada por Sebastião Antunes (voz, guitarra, bouzouki, ex-Peace Makers), Nick Cook (violino), Amadeu Magalhães (bandolim, gaita de foles), Rui Rechena (baixo) e Luís Bento (bateria). O objectivo de Sebastião Antunes, mentor do que em tempos foram os Peace Makers e que, desde 1991, deu origem ao grupo Quadrilha, é fazer a fusão entre formas próprias da tradição portuguesa e uma certa sonoridade celta. A música da Quadrilha tem base em formas simples, tão simples quanto os motivos das suas canções. No entanto, a maneira como o demonstram revela um apego à alma e está repleta de sentimentos: os homens do mar e as suas crenças, as gentes da terra e as suas lendas, as histórias contadas à lareira, as moças brejeiras, as sortes da lua, os encantos da noite. São algumas das muitas razões que levam estes amantes da música popular portuguesa a fazer a festa onde quer que sejam chamados. A Quadrilha vai fazendo histórias que reforçam a crença numa terra que tem tudo para nos dar. Umas vezes em tom de grande folia, outras na ternura e na calma de uma balada, mas sempre com o som único da banda. Ao vivo, o espectáculo da Quadrilha transpira alegria e emoção. Quando a Quadrilha entra em palco é para pôr todos a dançar! Misto de sonoridades inebriantes onde se destacam a voz, o violino, a concertina e as flautas, sobre uma base rítmica forte, a Quadrilha consegue aliar as melodias tradicionais à modernidade e sonoridade derivadas da pop. No inicio de 2000, surge um novo disco intitulado Quarto Crescente, com produção de Guilherme Inês. A grande diferença em relação aos discos anteriores é a sonoridade que para além da introdução de instrumentos como a sanfona, a gaita de foles e a harpa celta, parte, também, de uma nova formação: dos cinco elementos do grupo, três deles são novos e de áreas tão diferentes como o jazz, a música clássica e a dance music. Em Novembro de 2003 a Quadrilha lança no mercado o seu novo disco, A Cor da Vontade. Mais interventivo, mais maduro, mantém a solidez de uma base acústica inspirada nas raízes celtas. Em finais de 2006, após gravações em Janeiro, em Almada, a Quadrilha lança "Deixa que Aconteça", um disco ao vivo que se pretendeu retrospectivo.

DISCOGRAFIA


CONTOS DE FRAGAS E PRAGAS [CD, Ovação, 1992]


ATÉ O DIABO SE RIA [CD, Polygram, 1995]


ENTRE LUAS [CD, Ovação, 1997]


QUARTO CRESCENTE [CD, Vachier & Associados, 1999]


O MELHOR DE 2 [c/Charanga] [2xCD, Universal, 2001]


A COR DA VERDADE [CD, Vachier & Associados, 2003]


DEIXA QUE ACONTEÇA [CD, Vachier & Associados, 2006]

PRESS
O Entre Luas da Quadrilha, João Botas, Promúsica 12 de 12-1997

0 comentários: