16 abril 2009

ANANGA RANGA



A primeira formação dos Ananga Ranga surgiu em 1976 . Dela faziam parte Luís Firmino (guitarras, voz, ex-Aranha), Álvaro (baixo, voz), Manuel Barreto (piano, voz) , Necas (bateria, futuro membro da Banda Atlântida de Lena de Água), Rui Pedroso (órgão) e Pantera (percussão). Esta formação dedica-se sobretudo a executar covers de Genesis, Pink Floyd, Camel ou Manfred Mann. A partir de 1979 o grupo reforma-se com a entrada de Vasco Alves (baixo) e as saídas de Pantera e Pedroso. Conseguem um contrato discográfico com uma editora que lança dois singles no mercado, "Disco-Sound" e "Fascínio". Estes dois singles, de qualidade duvidosa mesmo para os apreciadores do género, são uma exigência da editora para a banda poder continuar a gravar a que os músicos cedem. O grupo não pretende, confessadamente, produzir este tipo de música, mas sim jazz-rock. Para isso recrutam o saxofonista Manuel Garcia e gravam o LP " Regresso às Origens". Com a participação especial de Carlos Zíngaro produzem um disco em que as guitarras de Firmino, as teclas de Barreto e o sax de Garcia marcam a melodia enquanto a secção rítmica de Vasco e Necas acompanha em contratempo, tal como mandam as regras do jazz-rock. O grupo é convidado a participar no programa de televisão "Soltem o Rock, mas guardem-no Bem" ao lado de nomes como Tantra, Arte & Ofício e Rão Kyao. Este programa, gravado ao vivo na Aula Magna, em Lisboa será exibido na RTP2. Em 1981 o programa de rádio "Rock em Stock" de Luís Filipe Barros promove um concurso, durante várias semanas, com uma canção que (saber-se-ia mais tarde) pertencia ao novo álbum dos Ananga Ranga. O concurso consistia em adivinhar de quem era a canção intitulada "Kiss You in The Highway". Poucos concorrentes conseguiram adivinhar que se estava perante o novo som do projecto. O LP, intitulado "Privado", contém mais temas cantados em inglês que em português. Nesta altura, Manuel Garcia já não faz parte do line up da banda, embora ainda toque no disco na condição de convidado. Regista-se igualmente a participação de Alfredo Nascimento que toca cavaquinho e percussões em "Umnidade". A banda parecia ter atingido a maturidade quando Vasco Alves a abandona, precipitando o final da mesma. [Aristides Duarte]

DISCOGRAFIA


VERME [7"Single, Metro-Som, 1979]


FASCÍNIO [7"Single, Metro-Som, 1979]


REGRESSO ÀS ORIGENS [LP, Metro-Som,1979]


PRIVADO [LP, Metro-Som, 1980]


KISS YOU IN THE HIGHWAY [7"Single, Metro-Som, 1980]

COMPILAÇÕES


ROCK-DISCO SOUND [Tape, Metro-Som, 1980]


HELLO ROCK: PORTUGAL 01 [LP, Metro-Som, 1981]


GRANDE GERAÇÃO DO ROCK [CD, Metro-Som, 1997]


FEBRE DE SÁBADO DE MANHÃ [3xCD, EMI, 2006]

PRESS
A Música Possível, Pedro Ferreira, Música & Som 48, 07-1979
O Desafio da Liberdade, Pedro Ferreira, Música & Som 50, 10-1979

1 comentários:

jão da silva disse...

REspeito imenso a memória deste grupo - não que a sua música seja a minha caneca de cerveja, mas... ganhei o Privado diretamente das mãos do António Sérgio, num passatempo do lendário Rolls Rock (as 20 Bandas em Branco, lembram-se?). Depois um amigo foi a Paris e trouxe-me o Overkill dos Motorhead. A forma de lhe retribuir foi exatamente trocar o Privado pelo cocktail molotov de Lemmy e Co. Claro que o meu amigo gostava de Jazz Rock. Há quem dê 100 aéreos pela peça - quando o encontrar vou-lhe dar a boa notícia. Ananga Ranga - respect!