25 abril 2009

AQUI D'EL ROCK



Um grupo de baile com o nome Osiris, formado por quatro elementos moradores em Lisboa, transforma-se num dos primeiros grupos de música punk em Portugal: os Aqui d'El Rock. A sua primeira actuação como Aqui d'El Rock tem lugar no Pavilhão do Clube Atlético de Campo de Ourique em 1978. Este concerto teve como grupos de cartaz os Elo, Hosanna, Perspectiva e Aqui d'El Rock. Anunciados estavam também os Plutónicos, mas devido a problemas de saúde de um dos seus elementos não puderam actuar. Este Festival Rock foi comentado na imprensa com títulos como "Um Festival em Caco(s)", devido a uma série de peripécias com ele relacionadas, entre as quais uma tentativa de invasão de palco por parte do outro grupo punk, os Faíscas, que não conseguiram tocar nenhuma das suas músicas. Os Aqui d'El Rock eram formados por Alfredo (guitarrista, professor de filosofia), JC Serra (baterista, servente de armazém), Fernando Gonçalves (baixista, desenhador) e Óscar Martins (vocalista, estudante de economia). Muito famosos na época, os Aqui d'El Rock passaram por vários festivais e tocaram em vários bailes de finalistas, para além de tocarem na primeira parte daquela que ficou conhecida como a estreia do punk Rock em Portugal, através dos Eddie And The Hot Rods. Tocaram, também, na estreia dos UHF ao vivo, juntamente com os Minas & Armadilhas e os Faíscas, na discoteca Brown's, em Lisboa, assunto que António Manuel Ribeiro focaria no tema "O Primeiro Concerto", do álbum "69 Stereo", dos UHF. Apesar de conotados com o punk não cortaram o cabelo, não usavam alfinetes de dama espetados na boca e não exibiam símbolos nazis, como alguns grupos do movimento faziam, sobretudo em Inglaterra, no intuito de chocarem as boas consciências. O seu som era rude, bruto e puro, no estilo de "3 acordes e toca a andar". Foi o primeiro grupo punk a conseguir um contrato discográfico e gravar os temas "Há Que Violentar O Sistema", "Quero Tudo", "Eu Não Sei" e "Dedicado... A Quem nos Rouba", que ficarão para sempre na história do Rock Português por terem sido os primeiros temas de um grupo punk gravados em Portugal (recorde-se que os Faíscas, apesar de moverem influências no meio musical, nunca conseguiram gravar qualquer tema em disco). O grupo foi capa da revista "Rock em Portugal" (a única revista dedicada exclusivamente ao fenómeno rock lusitano) e surgiu em publicações como a saudosa "Música & Som". A banda não durou muito tempo. O fenómeno punk não teve grande aderência, em Portugal, e estávamos na época em que o rock sinfónico dos Tantra (cujo líder, Manuel Cardoso, chamou músicos orelhudos aos Aqui d'El Rock por não terem formação musical) atraía multidões. [Aristides Duarte]

DISCOGRAFIA


HÁ QUE VIOLENTAR O SISTEMA [7"Single, Metro Som, 1978]


EU NÃO SEI [7"Single, Metro Som, 1978]


HÁ QUE VIOLENTAR O SISTEMA [7"EP, Rave Up, 2007]

COMPILAÇÕES


GRANDE GERAÇÃO DO ROCK [CD, Metro Som, 1997]

PRESS
Entrevista em jeito de Bate-Papo, Pedro Ferreira, Música & Som 46, 04-1979

0 comentários: