25 abril 2009

BEATNICKS



Os Beatnicks, um dos grupos importantes do Pop/Rock nacional, passaram pelas décadas de 60, 70 e 80. Com diferentes formações e diferentes estilos de música, os Beatnicks começaram em 1965 como um projecto incipiente. A sua primeira formação incluía João Ribeiro e Manuel Paulo, que apenas efectuaram alguns espectáculos, sem grande capacidade de surpreender. A Segunda fase dos Beatnicks começa em 1971, com Ribeiro, Rui Pipas (precocemente falecido num acidente de viação), Mário Ceia (que, mais tarde pertenceria a uma formação dos Hosanna) e José Diogo. O grupo elege o inglês como língua das suas canções. Tocam no Festival de Vilar de Mouros e em Vigo (Espanha). Gravam um EP "Christine Goes To Town", que é complementado com "Little School Baby" e "Sing it Along". Nesta fase, o grupo está próximo de uma corrente hard Rock. Ramiro (que tinha entrado no grupo algum tempo antes em substituição de Pipas) reforma o grupo (que esteve parado por problemas relacionados com o serviço militar), já depois do 25 de Abril. Entram Jorge Casanova e uma jovem actriz, filha do futebolista José Águas. Esta última era Helena Águas (mais tarde conhecida por Lena D'Água). O grupo tinha 2 vocalistas e actuava, sobretudo, em Festas de Finalistas, com incidência no distrito de Castelo Branco. A partir de 1976 a banda envereda por um estilo "progressivo", muito próximo de uns Yes, Genesis, ou, em Portugal, Tantra. Jorge Casanova começa a compor temas como "Cosmonicação", "Somos o Mar" e os espectáculos do grupo incluem projecção de slides e fumos carbónicos, uma novidade total em Portugal, só vista no concerto que os Genesis deram em 1975, no Pavilhão de Cascais. A banda actua em vários festivais ao lado de Tantra, Hosanna, Psico, Arte & Ofício e WaveBand . Este último grupo constituído por músicos alemães que se radicam em Portugal, tem a participação de membros dos Beatnicks como músicos convidados. São inúmeros os espectáculos que os dois grupos fazem em conjunto. Os Beatnicks gravam, finalmente, um single com "Somos o Mar" e "Jardim Terra", durante a fase "progressiva". Em 1978, Lena abandona o grupo e este entra em colapso. Ramiro lança-se num projecto efémero chamado Doyo, que grava um dos piores discos da fase do "boom" do Rock português, em 1981. Os Beatnicks , com Ramiro, ainda regressarão para gravar um single "Blue Jeans" e "Magia", (aproveitando a avalanche de bandas de Rock que se seguiu ao êxito de Rui Veloso), com o qual não conseguirão nenhum sucesso. Em 1982 ainda editariam um LP intitulado "Aspectos Humanos", na linha do single anterior. Completamente desactualizados e com o público mais interessado em Rui Veloso, GNR ou UHF, os Beatnicks acabam por morrer de morte natural. Importante foi, sobretudo, a sua fase "progressiva". [Aristídes Duarte]

DISCOGRAFIA


CRISTINE GOES TO TOWN [7"EP, Tecla, 1971]


MONEY [7"Single, Tecla, 1972]


SOMOS O MAR [7"Single, Alvorada, 1978]


BLUE JEANS [7"Single, Rádio Triunfo, 1981]


ASPECTOS HUMANOS [LP, Rádio Triunfo, 1982]


HEAVY FREAKS BACK TO TOWN [LP, PPP, 2009]

COMPILAÇÕES


BIOGRAFIA DO POP-ROCK [2xCD, Movieplay, 1997]


MUSIC BOX 60's 11 [CD, JN/Movieplay, 1997]


PSYCHEDELIC PORTUGAL [LP, PPP, 2008]

PRESS
Rock com Raizes Nacionais?, António Amaral Pais, Música & Som 18, 01-11-1977

2 comentários:

ert disse...

Eu gosto do Wikipédia porque permite uma actualização por vários utilizadores. Embora por vezes anulem o trabalho de alguns.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Beatnicks

Parece-me que falta um disco na discografia. Quanto a compilações penso que apenas deveriam ser incluídas as que tem temas inéditos. No caso dos Resistencia não sei se a última das compilações não se limitará apenas a ter um tema de um dos álbuns.

Os Resistência tem uma VHS editada o que é um caso raro em Portugal.

Bourbonese disse...

Obrigado ert pela correcção. Faltava ralmente o single Money, entretanto já adicionado. A ideia é ir-se actualizando a informação, sem concorrer com outras fontes. Relativamente às compliações sou de opinião que se deam meter as mais relevantes, se bem que este critério é deveras subjectivo...
Tem alguma onformação mais objectiva sobre essa cassete VHS (capa, ano de edição, etc). Seria informação muito benvinda.