13 abril 2009

DEAD SINGER



Fui hoje presenteado por uma informação que muito me apraz. Presumo que o autor foi o Guilherme Lucas, actualmente nos Dead Singer. Músico com vasto CV, iniciado nos Martinis, Cães Vadios e por aí fora, deu-me a mostrar um site que me fez recordar os meus velhos bons tempos no Porto. Estava a preparar entradas cuidadas sobre bandas como os Guru Paraplégico e os Iconoclastas - meus amigos de juventude que praticavam um som à la The Birthday Party -, mas terei que rever a matéria, pois encontrei informação realmente valiosa. De qualquer forma, as "estrelas" são agora os Dead Singer. Ora aqui vai a biografia directamente retirada do seu site oficial: A 9 de Julho de 2005, os Dead Singer apresentam-se ao vivo em formato power trio instrumental no bar portuense Porto Rio - Barco Gandufe. As críticas e opiniões ao seu 1.º acto pelo risco conceptual assumido dentro de um conceito eminentemente Rock não podiam ter sido mais encorajadoras. Nos concertos seguintes, e após a entrada de Gonçalo Morgado para vocalista, consolida-se o conceito de banda Rock que funde material do legado Cães Vadios, com temas originais criados pelo guitarrista Guilherme Lucas (fundador e "afundador" dos mesmos e agora também fundador dos Dead Singer), numa proposta Rock actualizada, poderosa e directa. Entre Abril e Maio de 2006, devido a divergências várias dentro do colectivo, dá-se a saída de Gonçalo Morgado, João Malaquias e Pedro Lacerda. A 3 de Maio de 2006, Raul Silva entra para o lugar de baterista. Desde logo nos primeiros ensaios reforçou-se o conceito musical de "power duo com algumas vocalizações", em grande parte devido às peculiares capacidades técnicas do novo baterista como percussionista, reinventando-se a nível sonoro e conceptual o caminho inicialmente traçado por Guilherme Lucas quanto ao conceito e objectivos da banda. A 28 de Dezembro de 2006, e após uma série de concertos de rodagem, os Dead Singer decidem assumir-se definitivamente como um duo de Rock exclusivamente instrumental, abandonando as vocalizações e dando início a uma outra fase do projecto, consolidando tecnicamente o seu reportório e aprofundando cada vez mais o seu conceito de banda conceptualmente Rock e de crossover das suas influências musicais de sempre, algures entre o punk/rock/garage. A melhor definição para esta banda será dada pela maior ou menor capacidade do espectador em apreciar com uma certa classe e inteligência uma simplicidade rock que obriga necessariamente a uma certa dose de sofisticação e sentido de humor para apreciar esta máquina de rock sónico. Cultores de um Rock duro, crú e directo, simples mas não simplista, com raízes nas bandas do universo rock mais underground, viajando entre o século passado e este, os Dead Singer são a banda rock para se ter debaixo de olho nos próximos tempos.

0 comentários: