25 abril 2009

PENTÁGONO



Banda que acompanhava Paulo de Carvalho e, por vezes, Fernando Tordo. Com a extinção do Grupo 5, Sousa Pinto formou o Pentágono com Fernando Nascimento e músicos que vinham da Turma 6, de Braga, como Fernando Girão (Very Nice), Firmino Neiva (baixista) e Pedro Taveira (bateria), já falecido. A banda participou no Festival de Vilar de Mouros, na sua edição de 1971. Nessa altura já o vocalista António Garcez fazia parte do grupo, tendo substituido Fernando Girão. Reza a lenda que inicialmente se havia pensado em Paulo de Carvalho mas este desistira da ideia como protesto contra o alegado magro cachet. A crítica falou em "melhor banda portuguesa" no Festival e em "excelente cantor". Curiosamente, a publicidade da época, anunciava "Pentágono com Paulo de Carvalho"... Ainda nesse ano tocaram na famosa festa do magnata chileno Patiño, numa quinta de Colares, para um conjunto de convidados onde se encontravam Sophia Loren e Omar Sharif. No início de 1973 os Psico juntaram-se aos Pentágono formando os Psicágono, banda que durou pouco tempo com esta denominação. António Garcez (voz) oferecera os seus préstimos aos Psico, banda para a qual entrariam ainda, em 1973, mais dois elementos dos Pentágono, Fernando Nascimento (guitarra) e José Martins (baixo). Depois do 25 de Abril, o grupo tentou sobreviver com actuações em festas de finalistas mas sem sucesso. Alguns músicos da banda decidiram ir para a ilha da Madeira tocar num hotel. Outro músico que passou pelo line up da banda foi André Sarbib, um dos mais prestigiados músicos da cena jazzística portuguesa. Este músico tocara também com os Tártaros, Albatroz. Firmino Neiva (baixo, ex-Turma 6) também integrou o grupo.

0 comentários: