13 abril 2009

PVT INDUSTRIAL



Banda nascida em Braga, no Carnaval de 1984, e constituida por Adolfo Luxúria Canibal (voz, letras), Joaquim Pinto (aka Pinto Marroquino, percussões, composição) e Miguel Pedro (bateria, composição). Tratava-se de um grupo de berbequins e ritmos de teares, tendo sido os primeiros bracarenses a tocar em Lisboa, neste caso na Escola Superior de Belas Artes. Logo de seguida, em Novembro desse ano, dissolvem-se para dar lugar aos Mão Morta. Mas essa é já outra história... Mas por falar em histórias, Manuel Leite, no seu incontornável blogue, narra na primeira voz uma aventura da banda: "Um dia no fim de tarde telefona-me o Pinto Marroquino e diz-me que vão tocar a Lisboa à Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e que o Miguel, que era o baterista, não podía ir porque tinha um exame nesse dia em Coimbra e que eu tinha de o substituir. No dia seguinte, lá fomos para Lisboa não sem antes o Pinto me rasgar uma t-shirt porque o meu visual era muito careta para o conceito da banda. O concerto foi histórico. Em Lisboa não havia o hábito do palavrão tão nortenho, muito menos de um concerto estar recheado de pornografia barata, fosse na projecção de slides ou mesmo de simulações orgásmicas ao vivo. No dia seguinte aquilo tinha sido um happening na capital. Eu acho que o concerto correu bem. A banda era então composta pelo Adolfo Luxuria Canibal na voz (???????), o Pinto Marroquino na voz (????) e projecção de slides, a Julieta no gira-discos (?????), o Nandão na Black and Decker, o Paulo Trindade no baixo, e eu na bateria".

0 comentários: