05 maio 2009

BIZARRA LOCOMOTIVA



Em Abril de 1993, Rui Sidónio (ex-Voodoo) e Armando Teixeira (Ik Mux, Da Weasel, Boris Ex-Machina, Balla, Bulllet) juntam-se para participar num concurso de música moderna organizado pela Câmara Municipal de Lisboa. A uma semana da data limite para as inscrições, com­põem uma maqueta com quatro faixas, como o regulamento exigia. Depois de uma final atribulada, onde os interesses se jogavam entre os membros do júri, acabam por terminar em primeiro lugar, ex-aequo com os Kasse Fazem. Como prémio, são convidados a actuar na edição de 1994 do Festival Printemps de Bourges. Em 1994 gravam, para a compilação de homenagem a José Afonso, Filhos da Madrugada, o tema "Era de Noite e Levaram". Contudo, Manuel Faria, produtor, afirma que o vocalista parecia ter um alicate na garganta e a versão é re­jeitada. Actuam no Festival Printemps de Bourges. A Symbiose edita o álbum "Bizarra Locomoti­va", produzido pelo próprio grupo com a ajuda de Fer­nando Cruz. Por essa altura, a PolyGram edita o mini-LP dos Ik Mux, grupo onde milita Armando Tei­xeira. Um dia, na sede da companhia, Armando encontra Tim, dos Xutos & Pontapés, que lhe propõe que os Bizarra Locomotiva façam as primeiras partes dos concertos da digressão "Direito Ao Deserto". A maioria das pri­meiras partes dessa digressão será, de facto, assumida pelos Bizarra Locomotiva, a quem se junta, ao vivo, o baterista Ernesto Pinto, dos Boris Ex-Machina.Em 1995 actuam na I Mostra de Música Mediterrânica, onde representam Portugal, em con­junto com os Três Tristes Tigres. O baterista Ernesto Pinto, que participa nas gravações do segundo álbum é substituído por Marco Franco, ex-Braindead e ex-Peste & Sida. Editam, na Symbiose, o segundo álbum, "First Crime Then Live". O disco divide-se em duas partes distintas: a primeira constituída por cinco novos originais produzidos por Armando Teixeira e Fernando Cruz e a segunda por quatro temas da actuação ao vivo no Printemps de Bourges. No ano seguinte, Marco Franco abandona os Bizarra Locomotiva. Ao grupo junta-se o guitarrista João Miguel Fonseca, dos Thormenthor e ex-Lesma. [Enciclopédia da Música Ligeira Portuguesa]

DISCOGRAFIA


OUTUBRO 1993 [Tape, Edição de Autor, 1993]


BIZARRA LOCOMOTIVA [CD, Symbiose, 1994]


FEAR NOW? [CD Single, Symbiose, 1996]


FIST CRIME THEN LIVE [CD, Symbiose, 1995]


BESTIÁRIO [CD, Symbiose, 1998]


CADA HOMEM [CD Single, Metrodiscos, 2003]


HOMEM MÁQUINA [CD, Metrodiscos, 2003]


ÓDIO [CD, Metrodiscos, 2004]


ÁLBUM NEGRO [CD, Raging Planet, 2009]


SPLIT [c/[f.e.v.e.r]] [12"Maxi, Raging Planet, 2012]


MORTUÁRIO [CD, Rastilho Records, 2015]

COMPILAÇÕES


BIENAL LISBOA 1994 [2xCD, SEJ, 1994]


JOHNNY GUITAR: AO VIVO EM 1994 [CD, Johnny Records, 1995]


RITUAL ROCK 01 [CD, Numérica, 1995]


PORTUGAL REBELDE 01 [CD, Global, 1995]


XX ANOS XX BANDAS: XUTOS & PONTAPÉS TRIBUTO [CD, EMI-VC, 1999]


ELECTRONICS [CD, Thisco, 2005]


CÍRCULO DE FOGO 02: RITUAL [MP3, Círculo de Fogo, 2007]


GOTH N ROCK 02 [CD, Raising Legends, 2010]

PRESS
Adormecida pelo Éter, Miguel Santos, Ritual nº 8 de 1995
A Todo o Vapor, António Pires, Blitz nº 541 de 14-03-1995
Um Novo Apeadeiro, António Pires, Blitz nº 549 de 09-05-1995
Manual de Bestas, Sónia Pereira, Blitz nº 731 de 03-11-1998
Estação Industrial, Gonçalo Frota, Blitz nº 771 de 10-08-1999
No Domínio da Técnica, Hélder Gomes, Mondo Bizarre nº14, 02-2003
A Arca de Noé, Mónica Marques, Blitz 1049 de 07-12-2004
Próxima Estação: Ódio, Ricardo Amorim, Underworld nº14, 01-2005

3 comentários:

PhiLiz disse...

Óptima entrada sobre a banda que representa a excelência da música Industrial feita em Portugal.

Destaco a referência à obscura demo de 1993 da qual ainda só tinha visto feita referência muito vaga nalguns sites de trade. Será possível disponibilizar, de qualquer forma, a mesma?

Agradeço desde já a atenção e qualquer resposta.

sehn disse...

http://www.bizarralocomotiva.com/phpBB2/viewtopic.php?t=1385&sid=09e5f6f20afe49397bfba08ec2d7c58f

Apenas um pormenor. Segundo o fórum da banda a maqueta tratar-se-á de uma "edição de fã" e não de uma "edição de autor".

Bourbonese disse...

Esta demo é original e foi enviada pela banda aquando da participação num concurso de música realizado em Braga na altura, concurso esse de que fui juri à altura. Sou contemporâneo da mesma e a demo está tal e qual como estava na altura. Qualquer outra versão não corresponde à verdade ou como os políticos de hoje dizem é uma inverdade. Abraços