15 maio 2009

GENERAL D



Sérgio Matsinhe, ou General D, nasceu em Lourenço Marques (actual Maputo), em Moçambique, a 28 de Outubro de 1971. Viveu apenas dois anos em Moçambique e veio com a sua família para Portugal, tendo habitado nos subúrbios da Margem Sul de Lisboa. Na escola, revelou-se um excelente aluno e desportista (tendo sido recordista regional dos cem metros de atletismo e campeão regional de velocidade na modalidade de 4x100). Mostrando-se interessado pelas suas raízes culturais, descobre o rap como uma forma privilegiada de expressão e adopta o nome de General. Ao mesmo tempo, torna-se activista dos direitos das minorias, chegando mesmo a ser candidato a deputado ao Parlamento Europeu pelo Movimento Política XXI e Porta-Voz da Associação SOS Racismo. Em 1990, organiza o primeiro festival rap em Portugal, em Almada (na Incrível Almadense), que conta com sua a participação, bem como de vários outros grupos, como os Black Company, ou os African Power. Três anos depois, torna-se o primeiro rapper nacional a assinar um contrato discográfico, no caso, com a EMI-Valentim de Carvalho. Em 1994, é editado o EP "PortuKKKal É Um Erro", que incluí três temas e que contou com a participação do grupo coral cabo-verdiano Finka Pé. O disco levanta alguma polémica, nomeadamente pelas suas letras corrosivas, e é mal recebido pela crítica. No entanto, as suas músicas e actuações parecem causar algum impacto em Inglaterra, onde General D dá alguns concertos e passa com regularidade nas rádios especializadas locais. No ano seguinte, regista alguns espectáculos de relevo no nosso país, nomeadamente no Festival Imperial, na cerimónia de entrega dos Prémios do jornal Blitz e na Festa do Avante. Ainda em 1995, é editado o seu álbum de estreia intitulado "Pé Na Tchôn, Karapinha Na Céu", gravado por General D & Os Karapinhas e produzido por Jonathan Miller, e onde participaram vários músicos convidados, como Marta Dias, Sam ou Boss AC, entre outros. O disco é bem recebido pela crítica, registando um enorme sucesso com o tema "Black Magic Woman", que conta com a participação vocal de Sam. Nesse mesmo ano, é editado o álbum "Timor Livre", resultado da gravação de um espectáculo no Centro Cultural de Belém de solidariedade para como o povo de Timor, onde participaram vários artistas, como Delfins, Rui Veloso ou Luís Represas, e em que General D interpreta dois temas. Após dois anos de concertos dentro e fora de Portugal, General D regressa aos discos em 1997, com "Kanimambo", que teve produção de Joe Fossard (que já trabalhou com outras bandas nacionais como Ithaka ou Mind Da Gap). [Gonçalo Passinhas]

DISCOGRAFIA


PORTUKKKAL É UM ERRO [CD Single, EMI-VC, 1994]


PÉ NA TCHÔN, KARAPINHA NA CÉU [CD, EMI-VC, 1995]


BLACK MAGIC WOMAN [CD Single, EMI-VC, 1995]


KANIMAMBO [CD, EMI-VC, 1997]


ESTADO DE SÍTIO [CD Single, EMI-VC, 1997]


RAPPI TA DODDO [CD Single, EMI-VC, 19979

COMPILAÇÕES

AFTER LIFE [CD, Nortesul, 1993]


TIMOR LIVRE [CD, BMG, 1995]


MAIS VALEM 36 MÚSICAS NO SAPATINHO [2xCD, União Lisboa, 1996]


SUPER TOP CORNETTO 96 (CD, EMI-VC, 1996]


RITUAL VIDEO CLIPS 97 [VHS, Ritual, 1997]


POP ROCK EM PORTUGUÊS [2xCD, Megadiscos, 1997]


SONS DE TODAS AS CORES [CD, Hugana, 1997]


BLITZ'97: OS MELHORES DE 97 [CD, EMI-VC, 1998]


10 JUNHO 1998 [CD, EMI/Rádio Cidade, 1998]


ONDA SONORA: RED HOT+LISBON [CD, Movieplay, 1998]


NAÇÃO HIP HOP 2003 [CD, EMI-VC, 2003]

PRESS
Fúria de Dizer, Miguel Francisco Cadete, Blitz nº 504 de 28-06-1994
Milagres de Setembro, Isabel Lucena, Blitz nº 516 de 20-09-1994
O Grande Baile, Pedro Gonçalves, Blitz nº531 de 03-01-1995 [CAPA]
General D na MTV, Blitz nº 522 de 01-11-1994
Áfrika Minha, Pedro Gonçalves, Blitz nº 568 de 19-09-1995 [CAPA]
Só um Pouco a Norte de Gibraltar, António Pires, Blitz nº 570 de 03-10-1995
Visões Periféricas, Pedro Gonçalves, Blitz nº 674 de 30-09-1997 [CAPA]
Áfrika Nossa, António Pires, Blitz nº 679 de 04-11-1997
Africanizar o Rap, Patrícia Lemos, Promúsica 13, 01-1998

4 comentários:

asd disse...

TIMOR LIVRE - Olhar Para Dentro
SONS DE TODAS AS CORES - Universal (com Influência Negra)

http://mp2000.no.sapo.pt/gd.htm

Bourbonese disse...

O Timor Livre já consta. Considero irrelevante o outro CD.

asd disse...

só agora reparei no que escreveu e no que comentou na entrada dos Silence 4 e devo informá-lo de que está enganado. O disco "Sons de Todas As Cores" inclui vários temas não editados. Inclui os Silence 4 (ganharam um contrato com a Polygram após este disco) e ainda tem Ornatos Violeta, Sérgio Godinho, Blind Zero, etc...

Sons de Todas as Cores (CD, Ajal/Hugana, 1997)

a distribuição é que é da Polygram/Universal

http://www.cm-coimbra.pt/bmc/plinkres.asp?Base=ISBD&Form=COMP&StartRec=0&RecPag=5&NewSearch=1&SearchTxt=%22TI Sons de todas as cores [Registo sonoro]%22

Blind Zero, Ornatos, Delfins, etc

Bourbonese disse...

Correcção efectuada. Obrigado.