22 maio 2009

LULU BLIND



Grupo lisboeta formado em 1991 por Tó Trips (voz, guitarra), Pedro Vargues (baixo) e Anselmo (bateria). A força da televisão está provada. Os Amen Sacristi deram memoráveis concertos no Rock Rendez Vous e no Bar das Palmeiras. Quem os conheceu? Os Lulu Blind quei­xam-se da falta de concertos dos tempos que correm. Gravaram um video para a televisão. Quem não os conhece? A referência aos Amen Sacristi, embora seja apenas um exemplo possível entre tantos ou­tros, não foi por acaso. Os Lulu Blind quan­do se formaram, vai para dois anos, inclu­íam três ex-elementos dos Amen. Mas a distância temporal reflectiu-se na música. Na fase inicial, enquanto procuravam uma identidade bem definida, o espírito do Filete, o vocalista, estava bem patente. Ideias muito maradas, que resultavam numa música rock esgalhada com muito divertimento à mistura. "Drogadicto del Rock'n'Roll", "Madrid Vacaciones", "Feedback Rap" e "Kiss Madonna" foram os temas dessa al­tura que só pelos nomes, podem dar um ideia do seu espírito. Entretanto o Filete embarcou a caminho dos Estados Unidos no navio escola Sagres, ao serviço da Armada Portuguesa, (quem diria?) abandonando assim os Lulu Blind. Se isso não os fez perder o espírito, contri­buiu pelo menos para uma mudança de rumo, acentuada com a entrada de Carlos Luz. Para a história ficam duas incursões em estúdio para, com a colaboração de Zé Pedro e Zé Vasco na produção, colocarem em fita as músicas entretanto germinadas. Da primeira gravaram apenas quatro temas, mas da segunda chegaram aos treze, a pen­sar naquilo que poderia ser o alinhamento de um álbum. Só que, depois de contactadas as editoras mais importantes, não houve um interesse por parte de alguma, para que esse álbum se tomasse realidade. Não vai por isso ser muito fácil vermos brevemente um álbum dos Lulu Blind, já que eles não acreditam nas independentes portuguesas, que apostam no underground como forma de vida. Os Lulu Blind não querem ser underground. Pequenos sim, mas só enquanto o forem. É bonito, até porque as bandas também se medem pelas ambi­ções. Mais difícil vai ser vermos aqueles treze temas em disco. Porque quem ambiciona, sonha, e quem sonha, evolui. Esses temas passaram quase todos à história, permanecendo apenas dois deles no actual repertório do grupo. A ajudar a essa evolução esteve sem dúvida a televisão, já que muitos conhecem os Lulu Blind apenas através do video de "Rita Hot Pussie", que tem passado em doses indus­triais na RTP. Esse clip esteve mesmo muito bem classificado no programa "Viva o Video", o que para uma banda até há pouco sem discos gravados, é assinalável. Mas é também extremamente limitativo para um grupo, ser conhecido apenas por uma música. O público quando vai aos concertos está à espera que sejam todas do género daquela que conhecem. Apesar disso é natural que, ao surgir a pri­meira oportunidade de gravar um tema em vinil, fosse "Rita Hot Pussie" o escolhido. Isso aconteceu recentemente com o pacote de singles editado pela Moneyland Records. Brevemente passarão a ser conhecidos por mais uma música. "I Must Kill You" vai ser editado este mês na colectânea do Johnny Guitar, lançada pela EMI-Valentim de Car­valho. Um video desse tema para breve é um dos objectivos do grupo. De resto, continuam à espera de um álbum, sem modéstia. Pequenos só enquanto o forem. Em 2000, a formação da banda era a seguinte: Tó Trips (voz, guitarra), Pedro Vargues (baixo), Samuel Palitos (bateria, ex-Censurados, ex-Kick Out The Jams) e Richard Pedrosa (guitarra, ex-Kick Out The Jams) [Pedro Brinca]

Os Lulu Blind foram uma banda rock nacional com inúmeras influências, de Sonic Youth a Jimi Hendrix, que nasceu em 1991. Nos primeiros tempos, o grupo era fortemente influenciado pelo estilo e pela presença do seu vocalista, Filete, numa altura em que os Lulu Blind praticavam um rock pesado mas cheio de sentido de humor. Desse período, destacam-se os temas "Rita Hot Pussy" ou "Drogadito del Rock N'Roll". Ainda em 1991, Filete deixa o grupo (ingressando na Armada) e é substituído por Carlos Luz. Passados dois anos, o teledisco da canção "Rita Hot Pussy" passa com insistência no programa "Viva o Video" da RTP, conferindo ao grupo uma visibilidade até então não experimentada. O tema é então lançado num single triplo da editora Moneyland Records. No final do ano, o grupo inclui ainda o tema "Go And Die" na compilação "Johnny Guitar". Em 1994, os Lulu Blind editam o seu álbum de estreia, "Dread", produzido por Zé Motor e Zé Pedro, e passam o resto do ano a fazer as primeiras partes dos Xutos & Pontapés. No ano seguinte, incluem a faixa "Peggy Boo" na compilação "Ao Vivo No Johnny Guitar Vol.1", editado pela Johnny Records. Em 1996, os Lulu Blind, editam, pela Música Alternativa, o seu segundo álbum de nome "Blast!", que é produzido pelos Moshers do Universo. Em 2001, a banda, que era então composta por Tó Trips (voz, guitarra), Pedro Vargues (baixo), Samuel Palitos (bateria) e Ritchie (guitarras), regressa com "Foge de Ti", o seu primeiro álbum cantado em português, que teve produção de Ronnie Champagne (que já havia produzido bandas como Blind Zero ou Xutos & Pontapés ). [Gonçalo Passinhas]

DISCOGRAFIA


DREAD [CD, El Tatu, 1993]


BLAST! [CD, Música Alternativa, 1996]


ATIRAR-TE AO AR [CD Single, Nortesul, 2001]


FOGE DE TI [Advanced] [CDR, Nortesul, 2001]


FOGE DE TI [CD, Nortesul, 2001]

COMPILAÇÕES


MONEYLAND [3x7"Single, Moneyland, 1992]


JOHNNY GUITAR [CD, EMI-VC, 1993]


VOZES DA RAIVA 02 [CD, Fast'n'Loud, 1995]


100% [CD, Música Alternativa, 1995]


JOHNNY GUITAR: AO VIVO EM 1994 [CD, Johnny Records, 1995]


RITUAL ROCK 01 [CD, Numérica, 1995]


PROMÚSICA 17 [CD, Promúsica, 1998]


XX ANOS XX BANDAS: XUTOS & PONTAPÉS TRIBUTO [CD, EMI-VC, 1999]


PRESS ON 04 [CD, Nortesul, 2000]


MUNDIAL 2002: CD NAO OFICIAL [CD, Universal, 2002]

PRESS
Finisterra, Fernando Santos Marques, Blitz nº 365 de 05-11-1991
Rita Coisa Quente, António Maninha, Blitz nº 402 de 14-07-1992
Underground? Nem por Isso, Pedro Brinca, Ritual nº 6 de 02-1993
Rita e as Outras, Duarte Dionísio, Ritual nº 8 de 1995
Exigir Melhor Sorte, Pedro Gonçalves, Blitz nº 551 de 23-05-1995
Cultura Trash no Buraco Negro, Jorge Dias, Público nº2236 de 24-04-1996
Outra Vez na Mó de Cima, Filipe Pedro, Raio X nº 9 de 18-08-1998
Trintões em Fuga, Patrícia Lemos, Promúsica 50 de 03-2001 [CAPA]
Fuga em Frente, Mário Lopes, Blitz nº 854 de 13-03-2001
O Estado da Nação, Nuno Castêdo, Mondo Bizarre nº7, 05-2001
10 Anos de História!, Cameraman Metálico, Raio X nº 37 de 06-05-2001 [CAPA]

2 comentários:

erradiador disse...

viva,
falta o primeiro disco, de nome dread.
m cumps

Anónimo disse...

falta o primeiro album: DREAD de 93