17 maio 2009

PETRUS CASTRUS



Formados em 1971, os Petrus Castrus eram liderados pelos irmãos Pedro Castro (voz, guitarra, ex–Chinchilas) e José Castro (baixo). Recrutaram dois antigos membros dos Play Boys - Júlio Pereira (guitarra, mais tarde Xarhanga) e Rui Reis (teclas) , aos quais se juntaria ainda João Seixas (bateria). Começaram então a praticar uma música próxima do rock sinfónico, então muito em voga. Conseguem um contrato discográfico com a Valentim de Carvalho e editam dois EP’s com os títulos "Marasmo" e "Tudo isto, Tudo Mais", que foram muito bem recebidos pela crítica. Desvinculam-se da editora e assinam pela recém-formada Sassetti onde editam o seu álbum de estreia intitulado "Mestre", hoje considerado um dos melhores discos portugueses de todos os tempos. O disco foi gravado em França, no mesmo estúdio onde José Afonso gravou o seu álbum "Cantigas do Maio". "Mestre" é constituído por músicas com poemas de Bocage, Alexandre O’Neill, Ary dos Santos, Fernando Pessoa e Sophia de Mello Breyner Anderson. O facto de terem gravado estes poetas vale-lhes a confiscação do disco por três meses pela famigerada Comissão de Censura. Pouco tempo depois da gravação do disco Júlio Pereira sai, para formar os Xarhanga. Ainda antes do 25 de Abril de 1974, os Petrus Castrus gravaram o single "A Bananeira", só editado depois dessa data. A atitude de sátira social, desde sempre associada à banda e por ela assumida, não tinha nada a ver com as propostas musicais surgidas no pós-revolução, em que se tentava dizer de uma só vez o que esteve escondido durante muitos anos, através da chamada música de intervenção. Como a banda não se sentia confortável nesse papel, suspende as suas actividades. João Seixas e Rui Reis ingressam nos Plutónicos, mais tarde Ferro & Fogo. João Seixas haveria de reencontrar Júlio Pereira, quando fez parte da banda do autor de “Cavaquinho”, em concertos ao vivo. Os irmãos Castro partem para o estrangeiro para regressar em 1976, licenciados em economia e engenharia. Em 1976 a banda retoma actividades com um novo LP intitulado "Ascensão e Queda". Em trio, com os irmãos Castro e Miguel Urbano na bateria, os Petrus Castrus contam, ainda, com as participações de Fernando Girão (aka Very Nice), Lena d’Água e Nuno Rodrigues (membro da Banda do Casaco). Embora seja um fracasso comercial e tenha sido arrasado pela crítica da época, hoje esse disco é procurado, sobretudo pelos coleccionadores de música progressiva, tendo sido objecto de uma reedição por uma editora sul-coreana. Ainda gravaram mais dois singles, "Cândida" e "Agente Altamente Secreto", mas só será editado o primeiro. Chegaram a dar alguns concertos ao vivo e desapareceram.

DISCOGRAFIA


MARASMO [7"EP, Decca-VC, 1971]

TUDO ISTO, TUDO MAIS [7"EP, Decca-VC, 1972]
MESTRE [LP, Guilda da Música, 1973]


A BANANEIRA [7"Single, Guilda da Música, 1974]


CÂNDIDA [7"Single, Imavox, 1977]

ASCENÇÃO E QUEDA [LP, Decca-VC, 1978]


ASCENÇÃO E QUEDA [Reissue] [CD, M2U, 2001]


MESTRE [Reissue] [CD, Companhia Nacional de Música, 2008]

COMPILAÇÕES


ORFEU [LP, Orfeu, 1994]


BIOGRAFIA DO POP-ROCK [2xCD, Movieplay, 1997]


PSYCHEDELIC PORTUGAL [LP, PPP, 2008]

3 comentários:

Mariana Castro disse...

http://www.facebook.com/PetrusCastrus

Elemento Musical disse...

http://elementmusical.blogspot.pt/search/label/petrus%20castrus

Elemento Musical disse...

Amigo. Arranjaram-me a capa do EP Tudo Isto, Tudo Mais:

http://elementmusical.blogspot.com/2013/09/petrus-castrus-tudo-isto-tudo-mais.html