17 junho 2009

AFTERDEATH



Gravitando em torno de Sérgio Paulo (voz), os Afterdeath foram uma das bandas de speed metal mais populares no início da década de 90. O vocalista tornar-se-ia famoso no Underground pela criação da fanzine "Abismo" e do clube de fãs Guardians of Metal e, mais tarde, da editora, revista e loja de discos com este nome. Desde o final dos anos 80 até à actualidade Sérgio Paulo vem organizando excursões a alguns dos mais importantes espectáculos realizados em Portugal e Espanha, alguns deles históricos. Com uma sonoridade tão pesada quanto melódica e erguida sobre um cruzamento entre Hard Rock, Grunge e Death Metal (e à qual não eram alheias subtis influências de jazz e de blues), os Afterdeath cedo conquistaram o seu lugar no panorama nacional. Em Maio de 1990 o grupo é constituído por Sérgio Paulo e Nuno Maciel (guitarra), aos quais se junta o baixista Ricardo Jorge Ferreira (futuro Nameless). Nos primeiros meses o duo fundador debate-se com as dificuldades comuns à maioria das bandas underground em início de carreira: instabilidade na formação (factor que viria a marcar toda a existência do grupo), falta de local de ensaio e material insuficiente e de baixa qualidade. Apenas em Outubro o elenco estabiliza com a entrada do baixista Sérgio Filipe e do baterista Ricardo Rosales. Em 1991 lançam a promo-track "Death is Calling" cujos temas foram objecto de forte airplay nas rádios nacionais e locais e presença habitual em numerosas compilações. Todavia, o posto de baixista mantém-se em permanente mudança, com Sérgio Filipe dando lugar a Ricardo Jorge e este a Dick, um músico de jazz com formação no Hot Club de Portugal e cuja técnica viria a revelar-se determinante para a evolução da banda. Ainda com Ricardo Jorge efectuam a mini-digressão "Death on the Road 91", que obtém um relativo sucesso e culmina a 14 de Julho perante cerca de três mil pessoas no estádio do Barreirense no âmbito do festival Sim à Vida, um evento anti-droga e cujo cartaz incluía ainda os Procyon, Estalada Total, Hell Legion, Tarântula, Adelaide Ferreira e os britânicos British Lion. Sérgio Paulo seria parte activa no anúncio televisivo do festival. Em Março de 1992 editam "Behind Life", a primeira cassete profissional, gravada nos então famosos estúdios Heaven Sound e produzida pelo guru João Martins. Com este trabalho, em que figurava o já clássico tema "Digital Horizons" (e que seria reeditado na compilação "The Birth of a Tragedy") a banda atinge um novo patamar de popularidade. Todavia, sucessivas mudanças de elenco têm novamente lugar culminando, em 1993, com as substituições de Nuno Maciel por Virgílio Neto, de Dikk por Roberto Monteiro e do baterista Miguel Mourão (ex-Necrophiliac, ex-Sacred Sin) por Filipe Martins, todos antigos elementos dos Thornado. Com esta formação publicam a cassete "Unreal Sight", antecessora do único álbum, "Backwords", que marca o regresso de Nuno Maciel às seis cordas, antes de abandonar definitivamente. Em 1997 os Afterdeath dão por finda a sua carreira. Passaram pelo grupo os seguintes músicos: Nuno Maciel (guitarra), Virgilio Neto (guitarra), Victor Silva (guitarra), Ricardo Jorge (baixo), Sérgio Filipe (baixo), Ricardo Jorge (baixo), Dikk (baixo, Deepskin, Ira, Blister, Witchbreed), Roberto Monteiro (baixo, Thornado), Jose Ramos (baixo), Ricardo Rosales (bateria, Casablanca), Miguel Mourão (bateria), Filipe Martins (bateria, Thornado) e Mário Rui (bateria). [Dico]

DISCOGRAFIA


DEATH IS CALLING [Tape, Edição de Autor, 1991]


BEHIND LIFE [Tape, Edição de Autor, 1992]


DARK ATMOSPHERE [Tape, Guardians of Metal, 1993]


UNREAL SIGHT [Tape, Edição de Autor, 1994]


BACKWORDS [CD, Guardians of Metal, 1995]


UNREAL LIFE [LP, Guardians of Metal, 2012]

COMPILAÇÕES


THE BIRTH OF A TRAGEDY [2xLP, MTM, 1992]


HIGH RADIATION 01 [CD, Independent Records, 1995]

SOMETIMES DEATH IS BETTER [CD, Shiver Records, 1996]


GUARDIANS OF METAL 04 [CD, Guardians of Metal, 1997]


CÍRCULO DE FOGO 07: LIVRE [MP3, Círculo de Fogo, 2008]

PRESS
Lusitânia Pátria, Pedro Cardoso, Blitz nº 370 de 03-12-1991
Guardiões do Metal, António Freitas, Blitz nº de 19-02-1996

1 comentários:

Ed disse...

Obrigado.
Dico