28 junho 2009

ATACADORES DESAPERTADOS



Nascidos na Ponte da Barca em 1987 e constituídos por Nuno Biafra (voz), João Noas (bateria), Sérgio Lucks (guitarra) e Tavo Scargot (baixo), os Atacadores Desapertados foram um projecto sui generis que gravou duas maquetes, sendo que a primeira, "Rebeldes da Sociedade", de 1990, foi a mais divulgada. Não sendo originais, praticavam uma espécie de rock primitivo que chega a ter pontos de contacto com o som dos M'Foice de Coimbra. Não se poderá dizer que os seus elementos seriam grandes músicos mas o nome acabou por ser escolhido, pelo que o minimalismo extraído da guitarra e do baixo acabou por se eternizar. A voz, potente, rouca e envolvente, não era das piores, mas o que fazer num tal mar de limitações técnicas? O som das demos era razoavelmente bom, revelando que o projecto havia cuidado da produção, utilizando inclusive efeitos, sem cair em exageros. De referir que Zé-Zé Fernandes foi músico convidado (percussão, teclas) e produtor do projecto. Este actor e músico é relativamente conhecido nalguns meandros culturais, tendo no seu CV participações no trio musical "Cânticos de Janeiras", foi cofundador da "Escola de Música de Instrumentos Tradicionais Portugueses", participou no "Rancho Folclórico de Ponte da Barca", foi baterista dos Fiéis Defuntos, um grupo heavy metal, fez ainda parte da orquestra "O Ó que Som Tem?" e dos Atacadores Desapertados (que considera o maior grupo de rock português de todos os tempos), bem como tropeçou ainda na Rádio TSF, como sonoplasta e operador de som.

DISCOGRAFIA


REBELDES DA SOCIEDADE [Tape, Edição de Autor, 1990]

1 comentários:

Pedro Brandão disse...

Eles estão de volta:

http://www.youtube.com/watch?v=I83aBzXh-F0