11 junho 2009

GRITO FINAL



Os Grito Final nasceram em 1983 no bairro da Ajuda, em Lisboa, numa altura em que começava a despontar a segunda vaga punk lisboeta. Em Setembro desse ano estreiam-se ao vivo num concerto realizado na Escola Secundária Ferreira Borges. Em Janeiro de 1984 voltam a actuar novamente, desta vez na Teia. Dá-se, após este evento, uma alteração radical no line-up fundador do grupo, mantendo-se apenas Cazé (baixo, ex-Vítimas da Sociedade). É com Jorge Nunes (futuro Condenação Pacífica), um guitarrista convidado que irão actuar, em 28 de Julho, novamente na Teia, integrados no cartaz do primeiro festival Punk português. Em Setembro de 1984, a formação fica estabilizada, com Cazé (baixo) (RIP), Alexandre Tudela (bateria, ex-Vitimas da Sociedade), João (guitarra) e Luís Human (voz). É com esta formação que, em Dezembro, actuam, novamente no Teia, com os Furia Tribal e Napal Climax. Em Julho, integrarão o cartaz do Agitarte 85, realizado no Parque de Exposições e Feiras de Aveiro, evento organizado pelo Gupo de Apoio à Cultura Subterrânea, dividindo o placo com os Cagalhões e Bastardos do Cardeal. Concorrem também ao 2º Concurso de Música Moderna Portuguesa do Rock Rendez Vous, mas não são seleccionados. Os Grito Final destacavam-se por tocar um punk rock agressivo, mas mais limpo que o de outras bandas como os Ku de Judas, Cagalhões ou Crise Total. Fruto desse labor irão participar, a convite de João Peste, na compilação "Divergências", duplo disco com que a Ama Romanta dá o seu pontapé de saída, tendo registado na mesma os temas "Ser Soldado" e "Bairro da Fome" onde a sonoridade, marcadamente tribal, se aproximava mais de bandas como os Killing Joke que do punk rock puro. O ano de 1986 marcará o fim da banda. Actuam no Rock Rendez Vous, num concerto com os Bastardos do Cardeal. Ficará para a posterioridade a gravação de um ensaio do projecto - num registo de 10 temas com fraca qualidade sonora - que será divulgado no formato cassete em 1992.

DISCOGRAFIA


GRITO FINAL [Tape, Resist Records, 1992]


SER SOLDADO [7"Single, Teia Discos, 2012]


GRITO FINAL [Reissue] [7"Single, Teia Discos, 2014]

COMPILAÇÕES


DIVERGÊNCIAS [2xLP, Ama Romanta, 1986]


AMA ROMANTA SEMPRE! [2xCD, Candy Factory, 1999]

PRESS
O Espectáculo da Militância Punk, Blitz nº55 de 19-11-1985

6 comentários:

Estereopositivo disse...

http://estereopositivo.blogspot.com/2010/02/grito-final.html

Anónimo disse...

Esta foto não é dos Grito Final. V.C.

Anónimo disse...

Tocaram no Porto???

Anónimo disse...

o ser soldado é uma musica seminal dos anos 80

Anónimo disse...

O artigo é louvável, mas contém algumas incorreções. O Jorge não foi guitarrista convidado, mas sim elemento efetivo da banda entre 1984 e 1985. É o autor da letra e música de Ser Soldado, apesar de nunca ter sido creditado em nenhuma das edições.

Sannyasin disse...

"Incorreções"? "Efetivo"? Nada como ser um ignorante anti-punk e escrever o "português" do sistema...