17 junho 2009

INDUSTRIAL METAL MACHINE



Nascidos em 1991 e naturais de Braga, os IMM (Industrial Metal Machine) estavam virados para um estilo de música electrónica agressiva e industrial, embora revelassem maiores preocupações com a melodia na fase em que começaram a editar que na fase inicial do projecto. Pedro Santos (guitarra, programações, e-bow) afirmava, na altura, que nos primeiros dias da banda "tocavam numa garagem, com uma guitarra, um baixo, alguns bidons e caixas" praticando um som muito industrial, mais virado para a percussão e ritmo. Os outros membros da banda, Filipe Santos (voz, programações, percussão) e Alexandre Guerreiro (guitarra, programações) mantinham low profile no que dizia respeito à exposição em público. Editaram uma maquete intitulada "Greve Geral" em inícios de 1995 e participaram em algumas compilações que foram sendo editadas durante a sua existência. O som foi progredindo do industrial puro para um som mais techno metal à medida que se iam apetrechando com nova tecnologia e a começavam a saber utilizar. Após essa fase, os IMM assumiram a filiação na música de dança mais agressiva, adoptando influências dos The Young Gods mas revendo-se, em simultâneo, na música mais minimalista de Steve Reich.

COMPILAÇÕES


À SOMBRA DE DEUS 02 [CD, BMG, 1994]


ROCK'IN BRACARA [CD, RUM/Matéria Prima, 1995]


GARAGEM [CD, Garagem Records, 1996]


DEIXE DE SER DURO DE OUVIDO 02 [CD, DDSDDO, 1996]


CHANGE YR.OIL [CD, Garagem, 1997]


NOISE SESSIONS [CD, Garagem, 1997]

PRESS
Contracultura, Jorge Manuel Lopes, Blitz nº 652 de 29-04-1997
Um Casamento e Quatro Noivas, Pedro Gonçalves, Blitz nº 679 de 04-11-1997
Arquipélago Independente, Sons nº25/Público nº 2817 de 28-11-1997
I.M.M., NCB, Garagem nº1 de Dezembro de 1997

0 comentários: