28 junho 2009

MEMÓRIAS DO ROCK PORTUGUÊS



Memórias do Rock Português
Aristides Duarte, Edição de Autor, 2006-2007-2008
Não há livros perfeitos e este não o é, concerteza. Mas trata-se indubitavelmente de um dos mais importantes contributos para a perpetuação da história da música urbana em Portugal. Como se sabe, a documentação do fenómeno rock é perene, inscrita maioritariamente em páginas avulsas de jornais e de revistas que se perdem no tempo. O testemunho oral, também relevante, tende igualmente a perder-se nas brumas do anos. Por isto, é natural reconhecer-se a importância das narrativas em livro. O mérito do livro de Aristides Duarte é grande e até facilmente quantificável. Preenche, antes de mais, uma lacuna, que era a da falta de condensação do que se passou na década de 70 e período do boom do rock português ocorrido no início da década de 80 - fases do rock nacional muito pouco analisadas de forma coerente. Depois, consegue reavivar o interesse por este assunto em muitos que hoje têm entre 30 e 50 anos e que viveram os anos 80 por excelência. A escrita de Aristides Duarte não é perfeita mas é, sem dúvida, emocionada e plena de vivência de alguém a quem a música portuguesa tocou. Textos detalhados com histórias interessantes, fotografias raras e desconhecidas, reproduções de capas de alguns discos, são constantes na variável em que o livro se transforma. Livro esse que teve direito a prefácio do guru António Manuel Ribeiro e deu já origem a três edições, uma das quais revista e actualizada, o que revela sinais de que a experiência obteve sucesso comercial. Alguns dos textos que constam neste blog são da sua autoria, publicados primeiro no jornal Nova Guarda, onde o autor é colaborador, e depois reeditados no livro. São textos escritos por alguém que conhece, que viveu a época e que, inclusive, me fizeram despertar para uma década que sempre desprezara musicalmente, a dos anos 70. E como nada é perfeito, aconselha-se a revisão de alguns textos relativos a bandas dos anos 80, época em que o autor já não se sentem tão à vontade, sobretudo quando esta ultrapassara já os seus meados. Algumas fotografias mereceriam melhor reprodução e o aspecto gráfico mais cuidado. Por último, um conselho para o caso de surgir nova reedição: por que não esquecer as partes relativas às entrevistas e páginas relativas aos melhores de alguns anos e alargar um pouco mais o leque de bandas analisadas? Há ainda muita história por contar e ela, hoje, está cada vez mais a ser feita nos blogues, entre os quais o do autor que, intitulado "Rock em Portugal" tem apontador nestas mesmas páginas. Sejam curiosos...

4 comentários:

ARISTIDES DUARTE disse...

Olá

Obrigado pelas dicas. Concordo com o seu texto. Se fizer uma nova edição (já esgotaram todas) farei o que indica.

Cumprimentos

Aristides Duarte

Bourbonese disse...

Caro Aristides. Foi rápido pois ainda estava a rever o texto que, julgo, estará já na versão final. Parabéns pelo trabalho!

Bourbonese disse...

Já agora. Que acha desta nova versão do blogue? Muito "pesada", com repetiçaõ de acpas? Diga-me algo, sff. Obrigado

ARISTIDES DUARTE disse...

Calhei ir à net e , como tenho o seu blog nos meus favoritos, pus logo o comentário.
Estive muito tempo sem acesso ao seu blog , porque acho que antes tinha outro URL. Agora , redescobri-o e gosto . Não acho nada "pesado". Se as bandas aparecem em vários discos, acho bem que as capas apareçam, também, mesmo que apareçam repetidas. O que eu não consigo, agora é pesquisar nada em nenhum blog do Bloger. Sabe como se faz isso. Aparece erro na página e não pesquisa nada.