05 julho 2009

NUNO REBELO



Quando os Street Kids já estavam em fase de dissolução, Nuno Rebelo oferece-se para baixista dos GNR (Alexandre Soares ia sair e Vítor Rua ia para a guitarra). Já tinham Jorge Romão mas Nuno Rebelo ainda fez três espectáculos com o grupo e participou na gravação do single "Soul Finger" que nunca viria a ser editado. Conhece Jorge Lima Barreto, através de Vítor Rua, e trava conhecimento com música de todos os tempos e de todos os sítios. O projecto com os Mler ife Dada começa em 1984 e só terminaria no início de 1991. É um dos elementos mais activos na compilação "Divergências", da Ama Romanta, contribuindo com um tema a solo, "Nipsha", e com o tema dos Mler ife Dada. Produziu os temas de Anamar, SPQR e Essa Entente e participa como músico nos temas "Dim" e na peça de música improvisada "Situação Aparente". Em 1988, a convite da Associação Cultural Manobras, compõe uma "sinfonia" electrónica para o 3º desfile de Moda "Manobras de Maio". O duplo-álbum "Sagração do Mês de Maio (1ª Sinfonia Falsificada)", o seu trabalho a solo, é editado em 1989 através da EMI-Valentim de Carvalho. Os Plopoplot Pot começaram em 1991. O grupo, já sem Vítor Rua, vence o I Concurso da Câmara Municipal de Lisboa. Aparecem na compilação "Em Tempo Real" da El Tatu. O grupo era formado por Nuno Rebelo (baixo), Paulo Curado (saxofone), Rodrigo Amado (saxofone), Luís Areias (guitarra) e Bruno Pedroso (bateria). Em 1992 forma com os seus alunos a Polyploc Orkeshtra que interpreta ao vivo a banda sonora de "Nosferatu" de Murnau. São convidados também pelo Instituto de Cinema a musicar a versão restaurada do filme "Douro, Faina Fluvial" de Manoel de Oliveira. Nuno Rebelo colabora ainda com João Peste no projecto "Alix na Ilha dos Sonhos". Em 1993 é o autor do tema oficial de "Lisboa 94 - Capital Europeia da Cultura". O tema ganhou o prémio de publicidade de "melhor jingle" desse ano. Em 1996 é editado "M2" com a banda sonora da coreografia "Sábado 2" de Paulo Ribeiro e da peça de teatro "Minimal Show". É também o autor de "Pangea", o tema oficial da Expo 98. Cria uma página na internet em que oferece músicas em formato MP3. A página com informações sobre a sua carreira a solo e dos grupos por onde passou incluía também os "Plopoplotexts", textos "programáticos" escritos para o grupo Plopoplot Pot. Em 1998 compôe a música para a peça "E no Intervalo Faz-se Qualquer Coisa" de José Wallenstein. Apresenta o espectáculo "As Guitarras Portuguesas Mutantes", no festival "Mergulho no Futuro". E também participa no disco "Seven Incantations" do japonês Hiroshi Kobayashi. Ainda em 1998 é editada a banda sonora da coreografia "Azul Esmeralda" de Paulo Ribeiro. Faz a música e sonoplastia do espectáculo "Oceanos e Utopias", de François Confino e Philippe Genty, apresentado no Pavilhão da Utopia, durante a Expo 98. A peça "remiXamor" do coreógrafo Mark Tompkins, com banda sonora de Nuno Rebelo, é estreada em Junho de 2000, no Festival de Nouvelles (França). Apresenta-se ao vivo com o colectivo L.I.P. (Lisbon Improvisation Players). É o autor da música original da coreografia "Como rebolar alegremente sobre um vazio interior" de Vera Mantero. O espectáculo "Compact Disconcert", com concepção e direcção musical de Nuno Rebelo e direcção cénica de Paulo Ribeiro e José Wallenstein, é apresentado no Teatro Nacional S. João (Porto) nos dias 21 e 22 de Junho de 2001. Neste espectáculo revisita todo o seu percurso como compositor para teatro e dança Cria a editora Raka. Através desta editora são editados os discos "Live at ZDB" do trio Nuno Rebelo+Kato Hideki+Marco Franco e "On the Edge" de Nuno Rebelo e Marco Franco. Em 2002 é editado o disco "Compact Disconcert" onde é revisitado o seu percurso como compositor para teatro e dança.

DISCOGRAFIA


SAGRAÇÃO DO MÊS DE MAIO [2xLP, EMI-VC, 1989]


MANOBRAS DE MAIO [7"Single, EMI-VC, 1989]


PANGEA [CD, Expo 98, 1996]


M2: SÁBADO 2/MINIMAL SHOW [CD, Ananana, 1996]


AZUL ESMERALDA [CD, Ananana, 1998]


LIVE AT ZDB LISBON 11-07-1999 [CD, Raka, 2001]


ON THE EDGE [CD, Raka, 2001]

COMPACT DISCONCERT [CD, TNSJ, 2002]


REMOVED FROM THE FLOW OF TIME [CD, Creative Sources, 2012]

COMPILAÇÕES


DIVERGÊNCIAS [2xLP, Ama Romanta, 1986]


REALIDADE VIRTUAL [LP, Fast Forward, 1991]


CORROSÃO CEREBRAL [Tape, K7 Pirata, 1991]


MILLENNIUM [CD, EMI-VC, 1996]


WAY OUT 01: NEW MUSIC FROM PORTUGAL [CD, Ananana, 1997]


EXPLORATORY MUSIC FROM PORTUGAL 01 [CD, Calouste Gulbenkian, 2001]


ANTOLOGIA DA MÚSICA ELECTRÓNICA PORTUGUESA [CD, Plancton Music, 2004]

PRESS
Nuno Rebelo e a Tecnologia, Tiago Baltazar, Blitz nº 188 de 07-06-1988
Nuno Rebelo a Nu, Tiago Baltazar, Blitz nº 190 de 21-06-1988
Das Manobras ao Espírito Invisível, Luís Maio, Blitz nº 235 de 02-05-1989
Sinfonia Autentificada, Blitz nº 237 de 16-05-1989 [CAPA]
O Tempo dos Mono-Improvisos, Jorge Pires, Blitz nº 256 de 26-09-1989
Explicações, António Pires, Blitz nº 333 de 19-03-1991
Polyp Ploc Orchestra, António Pires, Blitz nº 403 de 21-07-1992
Nuno Rebelo Faz Hino da Expo 98, Blitz nº 587 de 30-01-1996
M2 como uma G3, Fernando Magalhães, Público nº 2390 de 25-09-1996
A Pop está contaminada pela Mentira, Rui Catalão, Público nº 2404 de 09-10-1996
Cenas de Amor, Música e Dança, Cláudia Galhós, Blitz nº 643 de 25-02-1997
Subversões Musicais, Claudia Galhós, Blitz nº 713 de 30-06-1998
O Eterno Experimentalista, João Botas, Promúsica 21, 10-1998
Circularidade & Dissonâncias, Rodrigo Affreixo, Blitz nº 834 de 24-10-2000
Espectáculo Interactivo, RA, Blitz nº 869 de 26-06-2001
A Música foi ao Teatro e à Dança, Mónica Guerreiro, Blitz nº 941 de 12-11-2002
Um Disco Pop, Mónica Guerreiro, Blitz nº 946 de 17-12-2002
20 Anos, 52 Pessoas, Blitz 1019 de 11-05-2004

0 comentários: