04 agosto 2009

SILÊNCIO PARA 4



Com um nome retirado a uma das maiores obras de Ruben A, os Silêncio Para 4 foram um projecto fugaz da década de 90, indo buscar grande parte das suas influências a bandas como os Current 93, mas apresentando uma sonoridade mais pop e quiça pretensamente mais intelectualizada. Formados por Ricardo Roble (voz, pau de chuva, tubos), Gonçalo Castro (guitarra, baixo, melódica, percussão, voz, metalofone, piano), Fernando Fadigas (xilofone, metalofone, tubos, percussão, piano, futuro Tra$h Converters), Rute Figueiredo (violino), Frob (percussão, voz), Tiago Nunes baixo), Isa (voz), Daniel (flauta) e António Gardoni (voz), tinham base em Lisboa. Notava-se que muitos destes músicos se encontravam fortemente influenciados pela música de cariz mais neoclássico e electro-experimental da altura, sendo que se pode detectar que alguns seguiram essas linhas orientadoras após a dissolução do projecto. Os temas eram algo teatralizados, alguns no pior dos sentidos, a relembrar alguns pretensiosismos pseudo-intelectuais da segunda metade dos anos 80, sobretudo de alguns grupos lisboetas. Com um nome como o que usavam também não tiveram grande sorte pois a semelhança com o dos Silence 4, bem activos nessa década, passaram ao lado de algo que poderia ter sido bem mais interessante.

DISCOGRAFIA


SILÊNCIO PARA 4 [CD, Movieplay, 1993]


NUMEN [CD, Symbiose, 1996]

COMPILAÇÕES

MUSIC FOR STRANGE DREAMS [Tape, Enochian Calls, 1994]

5 comentários:

Gonçalo Castro disse...

Fantástico trabalho de recolha.
As coisas que se encontram aqui! Algumas julgava bem perdidas no fundo do baú.
Continuação de bom trabalho.

Bourbonese disse...

Confesso que só ouvi o CD "Numen" há cerca de 1 mês, quando o adquiri numa loja de discos usados numa ida a Lisboa. Não consigo perceber por que motivo alguém se desfez de um CD destes por € 2,5...

Anónimo disse...

um dos grupos mais idiotas que alguma vez apareceu na música português. Tudo de uma indigência pretensiosa (e palavrosa) a raiar a mais pura indigestão para o ouvinte– a começar pelo vocalista meia-leca a debitar parvoices urbano-depressivas.

Anónimo disse...

Os Silence 4 nem deviam ser chamados para o caso, pois a não ser a semelhança com o nome, formaram-se em 1995 e apenas lançaram o 1ºalbum em 1998 e aí sim ficaram conhecidos pelo publico.... Por esta altura não estavam nada activos e ninguém ouvia falar deles...Por favor não relacionem factos descontextualizados... Já agora parabéns pelo blog...

Anónimo disse...

Na minha opinião o último parágrafo está a mais, e não faz qualquer sentido comparálos com uma banda que praticamente só apareceu no fim da década de 90...