20 setembro 2009

THE ACT-UPS



São portugueses, naturais do Barreiro, mas em Portugal mantêm-se afastados das luzes da ribalta, cenário que pode vir a alterar-se com a inesperada vitalidade que o rock atravessa, de momento, em Portugal. Contudo, em Espanha, continuam a ser uma das bandas mais respeitadas dentro do panorama rock’n’roll. Formados por N. Very (guitarra), Nick Nicotine (voz, guitarra, harmonica e piano), Tony Fetiche (baixo), Hellso (bateria), Johnny Intense (fuzz, voz, theremin) e Gomez (órgão e voz), os The Act-Ups trocaram posteriormente de baterista (Pete Pistol é o novo baterista em substituição de HellSo) e continuam a rolar, com maior exposição no país vizinho que em Portugal, onde editam pela independente Hey Pachuco! Records. Os Act-Ups são a banda mais injustamente esquecida do rock em Portugal. No entanto, não é isso que os impede de continuarem a dar os concertos mais explosivos da Península Ibérica (os espanhóis que o digam). Agora, após um hiato de três anos, chega-nos “The Marriage Of Heaven And Hell”, o tão aguardado segundo disco. Apesar de algumas alterações na banda desde o debutante “I Bet You Love Us Too”, a única que se nota é a ausência das teclas. De resto tudo na mesma: os MC5 à guerra com os Stooges num beco escuro (“Seven”, “Necro”); os Gun Club a beberem uns copos com os Cramps num bar do Barreiro (“Gold”, “I’m Gonna Tell Suzie”); ou os Stones a divertirem-se numa garagem da vizinhança (“Slam Wham Thankee Ma’am”). Depois não nos digam que não vos avisámos. [Pedro Soares, Mondo Bizarre, 06-2006]

No debutante "I Bet You Love Us Too" editado pela nacional Hey,Pachuco! há 12 temas de punk-garage, 'rock'n'rola', blues e soul, que sentam à mesma mesa James Brown, Hank Williams, Roy Orbison, Creeps, MC5 e Iggy Pop para 43 minutos de conversa. O fluxo sonoro do sexteto do Barreiro, liderado desde 2001 pelo omnipresente Nick Nicotine (Balyhoos, The Sullens), pula entre a energia da faixa que dá titulo ao trabalho e o entusiasmo de 'Miracle' (teve direito a videoclip), agarrando-se a composições sinceras , aos teclados contagiantes e aglutinadores e a três guitarras que proibem tempos mortos e repetições. O álbum, gravado entre Maio e Setembro na própria sala de ensaios dos The Act-Ups ao espírito do "do it yourself", está a ser bem aceite na Espanha, onde é distribuído pela Boodymary. Os barreirenses dizem que a música não é feita como se fossem servir um café, "mas para a alma, como uma missa". E, na verdade, com mais alguma rodagem nas canetas, estes padres que celebram eucaristias-concertos até que estão no bom caminho para abandonarem o serviço de cafetaria e, então, obterem fama, mulheres e dinheiro ("faltam-nos quase três terços dessa equação") e receberem notas no palco, já que as moedas "aleijam muito". [Y/Público]

DISCOGRAFIA


I BET YOU LOVE US TOO [CD, Hey,Pachuco!, 2003]


THE MARRIAGE OF HEAVEN & HELL [CD, Hey,Pachuco!, 2006]


THE MARRIAGE OF HEAVEN & HELL [LP, Beatnik Moon, 2006]


TAKE ME HOME [10"EP, Groovie Records, 2006]


PLAY THE OLD PSYCHEDELIC SOUNDS [LP, Groovie Records, 2008]


PLAY THE OLD PSYCHEDELIC SOUNDS [CD, Hey Pachuco, 2008]


LIVE AGAIN [CDR, Hey Pachuco, 2008]


HOMO ZUGADITA QUASAR MONACANT [CD, Hey Pachuco, 2015]


SOMETHING TO FORGET [CD, Chaputa! Records, 2016]

COMPILAÇÕES


SUPERFUZZ [CD, Low Fly Records, 2008]


BARREIRO ROCKS [MP3, Optimus Discos, 2010]


HEY PACHUCO 10TH ANNIVERSARY COMPILATION [LP, Hey Pachuco, 2013]

PRESS
Detroit Para o Barreiro, Pedro Trigueiro, Rock Sound nº 14 de 01-2004
O Dia em que a Casa Veio Abaixo, Mário Vieira, Blitz nº 1011 de 16-03-2004
Entre o Céu e o Inferno, Edgar Raposo, Underworld nº19 de 04-2006

0 comentários: