20 setembro 2009

THE SADISTS



Os The Sadists foram formados em Lisboa no Verão de 2006 pelo inevitável Francisco Dias (aka Smash Stallion Sadist, voz, ex-Subcaos, Dawnrider, The No Count DOM, Crise Total e uma quantidade infindável de outras bandas) e pelo guitarrista Hugo Conim (aka Stash Rattlesnake Sadist). Mais tarde juntar-se-lhes-ão os amigos de sempre, André Silva (aka Crash, bateria), Trash Ironfist Commander (guitarra) e Carlos Ferreira (aka Flesh Highlander Sadist, baixo), tendo o grupo assumido finalmente o seu corpo completo. O desejo dos músicos era criar um som punk com características primárias, influenciado pela corrente britânica de 1977 ou por alguns projectos do proto punk americano e australiano. Não é por isso de estranhar que a banda se reclame como praticante de um som típico dos anos 70 baseado na tradição do Rock'n'Roll e do Garage Rock. Esta rapaziada, sempre que se sente entediada (normalmente no Verão, quando a cerveja está mais fresca) decide formar uma nova banda, de acordo com a moda para essa temporada. Resultado: ficamos na presença de uma infinidade de grupos não estruturados, sem uma ideia mestra que os aguente por mais que uns meses. O som destes The Sadists é propositadamente cru e até não produzido. É uma pastiche na sua totalidade. Ouvir "No Tomorrow" é estar a ouvir "No Reply" dos Buzzcocks trinta anos depois e saber que talvez mais valha a pena ouvir mesmo o original. Curioso é igualmente o facto do princípio revivalista ter sido levado tão a sério que o grupo regravou o tema "Morte Lenta" do primeiro álbum dos Xutos & Pontapés. Na realidade há muito pouco mais a dizer sobre um grupo que até lançou um disco muito mediano qualitativamente mas com algum apelo revivalista ao punk de rua, o que é ainda mais reforçado através do conteúdo do insert do disco que é dedicado à geração de ouro do punk nacional cujos expoentes eram, segundo a banda, grupos como Aqui d'el Rock, Tilt, Grupo Parlamentar, Speeds , UHF e Xutos Pontapés... O quê??? Em 2011 o grupo regressou ao activo sob a designação de Legion of The Sadists.

DISCOGRAFIA


A IRA DA CORRENTE [LP, Mayday Records, 2007]


THE RETURN OF SEMEN AND BLOOD [CD, Raging Planet, 2011]

3 comentários:

Anónimo disse...

Xutos e essa tralha toda de bandas foram sim a primeira corrente do punk português. Speeds é mais para o pub rock, mas tinham algo de punk. Devias ter referido o tema Nazty Venus, pois deve ser um dos melhores temas de sempre do punk português. Mais :

Hoje em dia a banda só canta temas em português, trocou de vocalista (Xico sai entra Marion Cobretti) e está muito mais evoluída músicalmente.
Os antigos temas em inglês foram adaptados a português.

A banda hoje em dia tem novos temas que depressa se converterão em novos hinos do punk.

Escutai Sede de Pecado ou Vidas Sujas.

www.myspace.com/theesadists

cumprimentos

Anónimo disse...

Quanto à banda, juntamente com os Parkinsons foram /são a melhor banda punk de sempre portuguesa.

O álbum o melhor àlbum de punk.

Anónimo disse...

é realmente um disco bastante fraco. especialmente tendo em conta o historial dos membros. pode ser que cantado em português fique melhor