04 outubro 2009

ANAMAR



Ana Maria Alfacinha de Brito Monteiro nasceu na cidade de Lisboa. Estreou-se nos palcos aos 17 anos. Frequentava a Escola de Teatro do Conservatório Nacional e decidiu partir com um amigo para Paris com destino a Londres. Acaba por ir parar à Suécia onde fica 9 meses. Em Gotemburgo forma uma banda punk, os Odd Combo, que cantavam em inglês. É aí que passa a ser conhecida por Anamar. Vai finalmente para Londres para logo depois regressar à Avenida de Roma e ao Conservatório. Entretanto foi Anotadora da RTP e abriu uma loja. Em 1982 começou como porteira do Frágil onde esteve até 1985. No ano de 1983 grava, para a editora Fundação Atlântica, o álbum "Cartas de Portugal", com a direcção musical de Pedro Ayres Magalhães e com letras de autoria de nomes como Miguel Esteves Cardoso e Paulo Bidarra. O disco não chega a ser publicado sendo editado apenas um single com os temas "Baile Final" e "Lágrimas". Com Luís Madureira, seu professor de voz na altura, grava o tema "O Teu Amor Sou Eu", versão de um tema de Irving Berlin com letra em português de Miguel Esteves Cardoso. Em 1984 colabora com António Emiliano no espectáculo "Alana" realizado no Frágil. Ainda nesse espaço participa no espectáculo "Coproduction" com produção de Manuel Reis e música de António Emiliano. Participa na peça "O Parque", de Botto Strauss, levada a cena pelo Teatro da Cornucópia, onde contracenou com Eunice Muñoz. Com esse papel ganha o Prémio de Actriz Revelação de 1985. Em 1986 é um dos nomes que aparecem na compilação "Divergências" da Ama Romanta que lança também, em Março de 1987, o máxi-single "Amar por Amar". No filme "Repórter X", de José Nascimento, aparece como actriz e interpreta o tema "Dor d’Alma" da autoria de Sérgio Godinho. Outros filmes em que entra, neste período, são "Crónica dos Bons Malandros" e "Um Adeus Português". Em 1987 é lançado o álbum "Almanave", uma edição da Polygram, onde aparece uma nova versão de "Canção do Mar". Para promover o álbum, que chegou a disco de prata, foi agendado um concerto a solo no Coliseu de Lisboa: "A noite de 13 de Novembro foi de consagração para uns, mas para muitos outros de descalabro." Colabora com António Emiliano na banda sonora do bailado "13 Gestos para um Corpo" de Olga Roriz na Gulbenkian. Em 1989 regressa aos discos com o álbum "Feia Bonita" que contou com a direcção musical de José Peixoto e participações de Nuno Rebelo e do guitarrista Mário Delgado. O disco inclui temas como "Feia Bonita", "Ilha" e "Afinal". Anamar foi mãe, e a sua carreira artística passou para segundo plano. A partir daí as suas aparições públicas tornaram-se raras, surgindo apenas no filme "Vida Normal" (1994) de Joaquim Leitão e na peça "O Ensaio". Em 1997 é editado pela BMG o álbum "M" com produção de André Louro de Almeida (ex-Croix Sainte). Este projecto é apresentado num concerto que decorreu na Estufa Fria, em Lisboa. No final de 2000, a convite de Tiago Torres da Silva, realizam-se os dois concertos "SMS8" em colaboração com Pilar e Né Ladeiras. O disco com as gravações desse concerto, "Ao Vivo - com Pilar, Né Ladeiras e Anamar", é editado em 2002 pela Zona Música. Em 2003 participa no espectáculo-concerto "Wild Cabaret", que ocupou o Teatro São Luiz, onde faz o papel de Rita Hayworth. A Universal (ex-Polygram) lança em Maio de 2003 o disco "Afinal", uma antologia com 17 temas da sua carreira discográfica. O disco "Transfado" foi editado pela CNM em Outubro de 2004. O disco subintitulado "Fado Tango e Alma Lusa" conta com Daniel Schvetz no piano, Luís Petisca na guitarra portuguesa e Ricardo Cruz no contrabaixo e percussão. [A Magia dos Anos 80]

DISCOGRAFIA


BAILE FINAL [7"Single, Fundação Atlântica, 1983]


AMAR POR AMAR [12"Maxi, Ama Romanta, 1987]


ALMANAVE [LP, Polygram, 1987]


FEIABONITA [LP, Polygram, 1989]


FEIABONITA [Tape, Polygram, 1989]


FEIABONITA [7"Single, Polygram, 1989]


M [CD, BMG, 1997]


AO VIVO [CD, Zona Música, 2002]


AFINAL [CD, Universal, 2003]


TRANSFADO [CD, Companhia Nacional de Música, 2004]


ANAMAR [CD, Metropolitana, 2013]

COMPILAÇÕES


DIVERGÊNCIAS [2xLP, Ama Romanta, 1986]


AMA ROMANTA 86/89 [LP, Ama Romanta, 1989]


AMA ROMANTA SEMPRE! [2xCD, Candy Factory, 1999]


O MELHOR DO ROCK PORTUGUÊS 1980-1989 [CD, Farol, 2007]


LUSO POP [CD, iPlay, 2008]

PRESS
Um Produto Híbrido. Talvez..., Rui Monteiro in Blitz nº 17 de 26-02-1985
Como Ela só Ela, Luís Maio, Blitz nº 106 de 11-11-1986
A Importância de ser Anamar, Rui Monteiro, Blitz nº 122 de 02-03-1987 [CAPA]
Sagração Pascal: Anamar no RRV, Rui Monteiro, Blitz nº 129 de 21-04-1987
A Campanha de Outono, Rui Monteiro, Blitz nº 154 de 13-10-1987
Almanave: O Engenho de Anamar, Luís Maio, Blitz nº 156 de 27-10-1987
Posição Frontal, Luís Maio, Blitz nº 158 de 10-11-1987 [CAPA]
A Bela e o Monstro, António Pires, Blitz nº 261 de 24-10-1989 [CAPA]
Um Duplo Regresso, Pedro Gonçalves, Blitz nº 657 de 03-06-1997
Chegar mais Alto, Miguel Francisco Cadete, Blitz nº 672 de 16-09-1997
O Despertar da Alquimista, Fernando Magalhães,Público nº 2754 de 26-09-1997
Anamar regressa aos Discos com M, João Botas, Promúsica 10 de 10-1997
As Três do Palco Airado, Blitz nº 838 de 21-11-2000
O Choro da Alma, Rita Guerreiro, Blitz nº 968 de 20-05-2003
O Disco da Minha Vida, Jorge Mourinha, Blitz nº 970 de 09-06-2003
Tudo Isto é Transfado, Jorge Mourinha, Blitz 1048 de 30-11-2004
Sintetizador, Jorge Mourinha, Blitz 1074 de 31-05-2005

0 comentários: