28 novembro 2009

CAVE CANEM

Remontando a finais de 1993, esta banda, praticante de uma mescla de dark wave e rock gótico, irá surgir em Coimbra, escolhendo como curioso nome de combate o termo Cave Canem, locução latina significando "cuidado com o cão"! Formada por Bruno Simões (voz), Nuno Pinheiro (guitarra), Pedro Pinto (baixo) e José Barreto (bateria), irá, mais tarde, incluir um outro elemento, Sérgio, nos teclados. Mantendo-se numa semi-obscuridade, só em finais de 1994 começam a trabalhar na elaboração, e posterior gravação, de um primeiro registo. Entretanto, e ainda durante o decorrer desse ano, Bruno Simões formará uma outra banda, mais "apunkalhada", os Tu Metes Nojo. É, portanto, logo em Janeiro de 1995 que, através da editora Enochian Calls, editam o seu primeiro e único trabalho, "The House Of Souls". Contendo cinco temas, este registo apresenta uma sonoridade profundamente romântica, por vezes sacralizada, soturna mas com míriades de pequenas luzes que desconstrem, parcialmente, a opressão que a dor inculca e instiga. Graças a este registo, conseguem dar os seus primeiro concertos. Contudo, vão ser parcas as ocasiões em que se poderão apresentar ao vivo, não só devido a motivos pessoais como, e principalmente, devido a serem poucos os locais que contratavam bandas relacionadas com este lado negro da existência. Além de alguns - poucos - concertos, 1996 vê a inclusão de faixas suas em várias compilações: "Portugal Rebelde II" (editado pela Titânica e incluindo "Love Never Dies"), "Going Genius I" e, sobretudo, "Crime no Paraíso" (também pela Enochian Calls e contendo, além deles, os Noctívagus, os Annwn e os Those Barren Leaves), onde participam com o inédito "Platão", bem como com o tema "Best Friends", ambos em versões acústicas ao vivo. Em 1997 reincidem com o tema "Platão", na mesma versão ao vivo [embora agira intitulada "Sombras na Caverna (Platão)"], na colectânea "Primeiro Grito", editada pela Coimbra B. Esta participação constituirá o seu canto de cisne, tendo a banda terminado por essa altura. Aliás, tal não constituiu, propriamente, novidade, uma vez que divergências internas, quanto à linha a seguir, estavam já a moldar a sonoridade, aproximando-a mais da pop (ao mesmo tempo que novas composições já tinham letras em português - até essas divergências, os temas eram todos cantados em inglês), provocando, os resultados finais: insatisfação entre os elementos da banda. Paralelamente, e já desde 1996, Bruno formara, com Nuno Ávila (da Enochian Calls), um novo projecto, na área do Dark Folk, os Rosenkranz. Tudo isto concorreu, então, para que o projecto desse por findas as actividades. Dos seus elementos, José Barreto irá tocar nos Overbliss e Bruno Simões com Sean Riley And The Slow Riders. [Paulo Martins]

DISCOGRAFIA


THE HOUSE OF SOULS [Tape, Enochian Calls, 1996]

COMPILAÇÕES


PORTUGAL REBELDE 02 [CD, Titânica, 1996]


CRIME NO PARAISO [Tape, Enochian Calls, 1996]


PRIMEIRO GRITO [CD, Coimbra B, 1997]

0 comentários: