06 dezembro 2009

MARTYRIUM



Após o término dos Scarlet Pleasure surgiriam, em finais de 1994, e pelas mãos de Lord Impirius Radamanto (voz) e Lestat (guitarra solo), os Martyrium. A eles, cedo se juntaram Gandalf (guitarra ritmo), D’Avila (baixo), Dr. Lio (teclados) e CSJTHE (bateria). Pretendendo um apodo que identificasse o universo por onde se moviam, acabam por tomar como seu o nome de Martyrium. A estreia ao vivo dá-se já em 1995 no Primeiro Festival Gótico, realizado no Bar Palha d’Aço, no Porto, mas a primeira demo, intitulada de “The First Invocation From The Heart Of Darkness”, só emergirá nos inícios do ano seguinte, numa edição limitada. Com uma sonoridade afirmativamente gótica, entre a poesia e as trevas, evocando entidades pagãs ou mistérios vampíricos, os quatro temas que a compoem demonstram já um cuidado composicional apurado e uma procura de soluções que espelhassem as atmosferas criadas. Actuando em todos os festivais góticos, especialmente na zona Norte, vão conseguindo criar um legião de seguidores fieis e ávidos por sonoridades mais sombrias e alternativas. Entretanto, novas composições vão emergindo e sendo apresentadas ao vivo. Estas fazem urgir a necessidade de se gravar um novo registo, desta feita de uma forma mais profissional. Este, intitulado de “Sallow Sight”, será editado em finais de 1997 (numa edição de 777 exemplares) e terá a contribuição de Cneajna nas vocalizações femininas e coros. Duas grandes diferenças marcam este registo do anterior: por um lado, o trabalho de vocalização está mais seguro e coerente e, em simultâneo, as ambiencias criadas pelos teclados enriqueceram o som, dando-lhe nuances mais românticas e criando uma maior densidade estrutural e emotiva. Luciferina e victoriana, densa e misteriosa, esta segunda demo impunha já a gravação de um disco, facto muito comentado na altura, mas que nunca ocorreu. Nos inícios de 1998 dá-se o abandono do baterista (por esta altura conhecido como Divine), enquanto o teclista passa a ser conhecido como Thanatos. Em substituição de Divine, integrará a banda Tsueda, embora Divine vá entrando e saindo frequentemente. É já com esta formação que darão os concertos desse ano, mormente em mais um festival, o I Midnight Festival, onde actuarão com os espanhois Remembrance. Em 1999, apesar de se encontrarem numa fase em que planeavam o registo de mais um trabalho, a banda dará, contudo, por findas as suas actividades antes de consecutar esse propósito. [Paulo Martins]

DISCOGRAFIA


THE FIRST INVOCATION FROM THE HEART OF DARKNESS [Tape, Edição de Autor, 1996]


SALLOW SIGHT [Tape, Edição de Autor, 1997]

COMPILAÇÕES


IN THE RAIN 05 [Tape, In The Rain, 1997]

5 comentários:

Eduardo F. disse...

Nunca me tinha cruzado com este nome...

Não há mais informação?
Será que a menção ao estúdio onde foi gravada a 2ª demo (que não se consegue ler...) nos indica alguma coisa?

Seriam do norte do país?
Há por aí algum amigo que possa dizer-nos mais coisas?

Vozes Distantes disse...

Viva! Tudo bem?
De facto, a digitalização não ficou grande coisa e já fiz uma nova para a substituir...
Quanto à cassete, foi gravada nos "Bonfim Studios" e a banda era, de facto, do Norte, mais concretamente do Porto (facto que, por lapso, me esqueci de referir e, por tal, peço desculpas).
Como informação adicional, posso referir que alguns dos seus elementos fazem parte, hoje em dia, dos Bal Onirique.
Um abraço,
Paulo Martins

Eduardo F. disse...

Obrigado, amigo Paulo.

Vozes Distantes disse...

Boas!
Já está a nova digitalização da capa :-)
Abraço,
Paulo Martins

Eduardo F. disse...

Boa!

Abraço.