16 fevereiro 2010

ETTA

Quem se depara com a capa do único disco gravado pelos Etta por certo esperaria outra coisa para além do que irá acabar por ouvir. Sim, porque isto das capas tem sempre algo que se lhe diga e acaba por indiciar, salvo melhor opinião, sempre alguma coisa. Da capa deste disco pode esperar-se muita coisa - punk rock, hard rock, heavy metal e, se formos um pouco mais longe, até música industrial da escola "old school". Eu já vi isto algures num disco dos SPK... Espera-se algo agressivo, condizente com a imagem transmitida. Mas não! Abre-se o pacote e o presente desilude! Deparamo-nos com um pop-rock linear, desinspirado e desinteressante q.b. que tanto denota influências das músicas festivaleiras do intragável José Cid, como se espeta de frente num pop-rock típico do que pior se fez no período do chamado boom do rock português. É fraco, sem pretensões que não as comerciais, mantendo coros miseráveis e letras fracas. Imaginem, inclusive, numa das faixas, um incrível e longo coro do tipo "nhâ nhã nhã", como se o vocalista nem a letra tivesse decorado... Os responsáveis por tal calamidade mantiveram-se, tal como na foto da capa, encobertos mas dá para perceber que por trás da coisa se encontrava Pedro Martins (autor das letras) e Eduardo Anastásio (autor das músicas). Outros culpados: Fernando Matias, responsável pela produção e talvez o mais responsável, Amável Anastásio, o autor da capa!

DISCOGRAFIA


JUNTOS ADJUNTOS [7"Single, Rádio Triunfo, 1983]

0 comentários: