16 fevereiro 2010

FLUXUS



Sobre os Fluxus não há muito a dizer. Ou melhor, o pouco que há para dizer é mal. Formados por Armando (baixo), Joaquim José (guitarra ritmo), José António (guitarra solo), Pratas (órgão, piano, sintetizador), João Lúcio (bateria) e Carlos Albino (voz), praticavam um hard rock manhoso com letras miseráveis, bem enquadradas no género que maioritariamente populou no espectro musical dos inícios da década de 80. Solos e riffs já mil vezes escutados na década de 70, teclas primárias a atirar para o progressivo barato, eram estas as constantes nas suas composições. Denotando o estigma de tantas bandas de baile da época, procuravam ainda dar liberdade a uma espécie de blues-rock de fraca qualidade, típico de quem ouviu inúmeras vezes os discos dos The Doors que eram vendidos pelo Círculo de Leitores, sobressaindo essa tendência ainda mais em temas como "Portuguese Woman" que colocaram num envergonhado lado B do único disco que deixaram para a posteridade. Música para canastrões e gingões, o que aliás é capaz de estar bem patenteado na capa que empacotava o vinil. A produção do registo foi da responsabilidade de Moreno Pinto, tendo o mesmo sido gravado nos estúdios da Rádio Triunfo.

DISCOGRAFIA


PUTO QUÉQUE [7"Single, Orfeu, 1981]


MENINO JOÃO [7"Single, Orfeu, 1982]

5 comentários:

ARISTIDES DUARTE disse...

Os FLUXUS têm outro single, com os temas "Menino João" e "Frustração", na mesma onda musical deste.
A capa desse disco está na página 25 do meu livro "Memórias do Rock Português"

Bourbonese disse...

Obrigado Aristides. Já estive a confirmar. Pode fornecer os dados relativos ao mesmo (ano, editora)? Para quando o livro novo?

bairro do vinil disse...

e a capa, faz mesmo lembrar o interior da capa do disco Morrison Hotel dos Doors... Portuguese Woman ... interessante... :)

Bourbonese disse...

É verdade. Há ali qualquer coisa que "cheira" a pastiche...

ARISTIDES DUARTE disse...

A foto não é dos Fluxus, mas dos Plexus, uma banda dos anos 70