24 fevereiro 2010

LUIS MADUREIRA



Pouco se sabe acerca deste intérprete para além do facto de ter sido cantor de ópera (tenor) e de de ter sido professor de técnica vocal de Anamar. O seu primeiro single, "O Teu Amor Sou Eu", era uma versão de Miguel Esteves Cardoso para um tema com música de Irving Berlin. Anamar colabora na faixa que ocupa o lado B do single. Várias referências ao cantor podem ser encontradas, mas todas relacionadas com a sua área musical de eleição: a ópera. De uma curta biografia encontrada na internet e da autoria de José Ribeiro da Fonte, pode ainda acrescentar-se o seguinte: "Rezam os cânones que a um cantor é necessário, depois do património vocal de que a natureza o dotou e do respectivo desenvolvimento técnico, um conhecimento envolvente das disciplinas teóricas e práticas dá música. Não consta que as instituições nacionais - pelo menos até há poucos anos - considerassem útil ou necessário preparar os seus profissionais nas disciplinas cénicas, too essenciais ao seu desempenho profissional quanto a técnica vocal e a preparação musical. Do mesmo modo, a preparação dos profissionais de teatro deixava de lado o tratamento desenvolvido de aspectos essenciais ao competente exercício da profissão, tais como o técnica vocal e a elocução. Luís Madureira é o primeiro de uma geração de novos artistas que intuiu as insuficiências da sua formação, e que fez de uma procura sistemática de alargamento de conhecimentos e capacidades a própria estrutura da sua carreira profissional. Uma passagem pelo Coro Gulbenkian sedimentou nele uma básica exigência de rigor, própria de toda o linguagem musical e de um agrupamento que só aceita prestações irrepreensíveis. Simultaneamente, a necessidade de buscar outros meios de expressão, inicia-o na experiência cénica, à qual traz os seus conhecimentos de cantor e músico, contribuindo para o desenvolvimento de um magnífico projecto experimental de teatro-música, posto em prática por uma das mais interessantes personalidades criadoras da cultura portuguesa da segunda metade do século - o Colectiva de Constança Capdeville. Aos poucos, por trás da máscara do cantor, vai tomando forma a personalidade do actor, que em Luís Madureira se centra particularmente no cuidado que põe no tratamento da língua portuguesa, na transparência da sua dicção, na intencionalidade da sua elocução e no cuidado com a transparência que revela a personagem em cada fala - lugar primeiro em que se constitui, e que é a verdadeira matéria prima do teatro. É no cruzamento destas capacidades que se situa o lugar por excelência de Luís Madureira interprete. no rigor e bom gosto musicais e na fina percepção do texto residem as bases que lhe permitem os mais arrojados desafios, mais do que bem sucedidos, se considerarmos, por exemplo, a dificuldade assassina de uma partitura como Façade de William Walton. É aqui também que se sustenta um registo feliz ao longo de todo o carreira de Luís Madureira – o de entertainer".

DISCOGRAFIA


O TEU AMOR SOU EU [7"Single, Fundação Atlântica, 1984]

6 comentários:

cskh disse...

24/02/2010 não sei se é a primeira vez mas é a primeira vez que detecto. Uma entrada sem imagem incial (Luis Madureira) e outra sem qualquer gravação associada. Não sou conhecedor do percurso do LM mas penso que o disco canta "Boris Vian" também poderia ser incluído. Não sei se tem outros discos editados. Curiosamente a Anabela Duarte [que não se comparar com o percurso do LM]também tem discos relacionados com a Ópera.

Bourbonese disse...

Olá. É assim mesmo: os Baka Rupta não tiveram qualquer gravação associada (nem sequer integraram qualquer compilação que eu conheça). Relativamente a Luís Madureira bem gostaria de colocar uma fotografia mas não tenho qualquer imagem do mesmo. Já pedi ajuda neste blogue mas salvas raríssimas excepções, a participação tem sido nula. É Portugal. Ninguém leva a mal... A Anabela Duarte tem ficha própria, com essas referências.

cskh disse...

Não sei se é ele que esta na capa do disco de 1995. Na net há um artigo do público que diz que esse é o seu primeiro álbum (edição Alma/Luminária).

http://www.galeria.abraco.pt/produtos/cds/luis_madureira.php

Poderia ser usada o retrato que está na capa do disco (como foi usado nos Zoom, por exemplo)

cskh disse...

Ruth Rosengarten (autora do retrato) Nascida em Israel em 1954, é pintora, historiadora e crítica de arte. Viveu em Portugal dos anos 80 até 2002.

Bourbonese disse...

Boa adição. Obrigado!

cskh disse...

http://arquivo.pt/wayback/20080312060315/http://www.esml.ipl.pt/canto/corpo.html - Nasceu em Tomar em 1955. (etc)