12 dezembro 2010

WOLFSKIN



Wolfskin foi um projecto de um homem só, Johan Aernus, criado em 1994, com vista à expressão das perspectivas e inquietações do autor, no seio de um movimento mais lato, integrado no contexto que a editora Reaping Horde permitia. O nome do projecto remetia para a mitologia guerreira dos homens que defendiam as suas terras envoltos em peles de lobos e de ursos procurando encarnar os seus mais ferozes instintos animais e de bravura. Como refere o autor no seu sítio público, "Wolfskin vem do nevoeiro, do vento cortante do cimo das montanhas, do silêncio misterioso, do sonho mitológico. Paisagens ancestrais evocadas em estruturas sonoras hipnóticas, abstractas e orgânicas. Wolfskin é uma sensação, um sonho, uma caverna húmida e silenciosa. Entidade simbólica criada em 1994 como forma de exploração pessoal, anímica, xãmanica por mim, único membro fixo, tem incluído, ao longo dos anos, diversas pessoas que contribuíram duma forma inestimável para a sua definição sonora". Trata-se, portanto, de uma música que tem como base a natureza selvagem, nomeadamente a do guerreiro do norte, orgulhoso das suas raizes e tradições. Johan Aernus esteve sempre envolvido noutros projectos, desde os Karnnos aos Urdraum ou Warriors Of Nature, mas a sua influência e experiência é mais vasta, podendo ser encontrada em quase todos os grupos que, de uma forma ou de outra, estiverm ligados às editoras Forgotten Blood ou Reaping Horde, esta última criada pelo próprio a partir de Chaves, localidade de onde é oriundo. A música dos Wolfskin, contrariamente à de outras bandas suas contemporâneas, parte da natureza e da tradição, assumindo-se como um meio, não um fim. É delas que parte, mas numa perspectiva "em bruto": nasce do hostil meio das suas raízes, explora as suas sonoridades em formato quase minimal, trilhando caminhos orgânicos embuidos numa quase anti-música. Está lá tudo. São sonoridades que advêm de um quase desejo vindo dos ancestrais, clamando por uma revisitação de locais sagrados e hoje perdidos a que há urgência de se retornar. Não nos admiremos, pois, que os sons sejam feitos a partir de landscapes inspiradas numa espécie de bruma que devemos enfrentar, lenta e atentamente. É uma música feita a partir de estruturas de sons, loops, samplers, voz minimal, percussão e instrumentos tradicionais como o acordeão, a gaita de foles ou as flautas. Contrariamente aos Karnnos, cuja música, basce de uma raiz quase folk, os Wolfskin nascem do húmus, da terra molhada pela chuva do dia anterior. Wolfskin nunca foi um projecto fechado a colaborações, apesar de na sua génese ter apenas Johan Aernus. Nele surgiram integrados músicos como Nerunbrir (Inverno, Twilight Commando, Karnnos), Belmil (Lume, Karnnos), João Filipe (Sektor 304, Karnnos, TWMAAWT), A.P. (Objekt4, spatialXpansion) ou XIII (Nothus Filius Mortis, Skorpiorising), Bronte (Latebra) e M.J. (Plateau Omega). As aproximações ao trabalho de grupos ou músicos como Lustmord, Sleep Chamber, Herbst 9, Robert Rich, Steve Roach, Jorge Reyes ou Peter Greenaway não serão de estranhar pois quase todos eles partiram de permissas análogas que se foram traduzindo, ao longo dos tempos e dos seus trabalhos, numa espécie de consciência arcaica feita a partir de colagens de imagens, comportamentos e tradições a que se designou chamar dark ambient/ritual/industrial. Os Wolfskin surgem inicialmente no seio do catalogo da Forgotten Blood, sendo a sua estreia a terceira edição deste. Contando com a colaboração de B. Ardo, "The Hidden Fortress", foi realizado e editado em 1995 na forma de cassete de embalagem manufacturada limitada a 77 exemplares. Mais tarde, Aernus autonomizar-se-á, criando a editora Reaping Host/Reaping Horde, a partir da qual assentará fortaleza. Ficou ainda registada, na editora de Penafiel, um trabalho dos Warriors of Nature e as participações na compilação "Solis Rota". De referir que os Warriors of Nature foram um colectivo constituído por B. Ardo e Johan Madju/Aernus. O disco intitulado "The Roots of Blood", foi integrado no subselo Forgotten Lair, mais edicado às sonoridades de inspiração guerreira, onde serão também editados, em 1998, "Serpent Wars of Callaecia" da mesma banda e a estreia dos Zwickau cujo título foi "Death's Triumphant Dignity". De referir ainda que foi da cisão ocorrida no seio dos Warriors of Nature que surgirão os Sangre Cavallum onde, numa primeira fase, surgiam os nomes de B. Ardo, Ku Ku, Coutinho e Paulo Martins. Em 1998, já com selo da Reaping Horde, é editada a cassete "Campos De Matança", numa reduzida edição limitada de 67 exemplares em cassete e 50 cópias no formato CDR. O trilho das edições extremamente limitadas manter-se-á em 2000 com a publicação de "The Gather Of Shadows By The Setting Sun", um CDR de apenas 188 cópias lançado pela norte-americana The Ajna Offensive e que mais tarde será reeditado pela Malignant Records, numa versão trabalhada pelos Objekt 4. Em 2002, nova curta edição, agora pela francesa Cynfeirdd: "Tornar O Sangue Sagrado" viu o mundo numa versão de apenas 406 cópias em formato CD mas teve o mérito de abrir as portas a um universo de melómanos muito mais amplo, que exponenciou o trabalho dos Wolfsin e o levou até outros mercados. Um deles - inesperado, por certo -, foi o brasileiro, onde a editora local Essence Music, se mostrou extremamente interessada nos caminhos trilhados pelo grupo, mostrando-se interessada em edita-lo. Nasceu assim a reedição do clássico "Campos de Matança", numa edição enriquecida de 599 cópias em CD e uma luxuosa caixa em versão limitada a 69 exemplares. Para esta edição, os Wolfskin voltaram a remisturar a gravação original, melhorando-a e expandindo-a. A edição, numa embalagem limitada e de luxo, reencontrava muitas das características da primeira edição, sendo envolvida numa caixa onde, para além dos discos, se manifestavam elementos orgãnicos. A edição normal era bem mais reservada. Em 2007, Johan Aernus anuncia oficialmente o fim dos Wolfskin, dos Karnnos e da sua colaboração com a editora Reaping Horde, que criara e que agora deixava entregue a Euscortius (aka Nerunbrir, membro dos Inverno e Karnnos), bem como a sua completa saída da cena musical. Anunciava também a edição de 4 novos trabalhos dos Wolfskin até à sua completa extinção e era parco na explicação para o que sucederia aos Karnnos: estes continuariam a existir apenas num nível quase subliminar. É neste contexto que se compreende a edição, em 2008, de "O Ajuntar Das Sombras" (Malignant Records) e de "The Hidden Fortress: A Revisitation" (Neuropa Records) e, em 2010, de "Stonegates of Silence" (Malignant Records). O primeiro disco referido foi inicialmente pensado como uma reedição do extremamente limitado e esgotado "The Gather of Shadows by the Setting Sun" mas acabou por ser editado como uma remistura de 3 dos temas nele constantes a que se adicionaram 7 outros originais. Em 2010, após o anúncio do fim dos Wolfskin, nova edição é efectuada, através da norte-americana Malignant Records. "Stonegates of Silence" que é um disco minimalista e com estatuto dark ambient. Com a ajuda de Anders Peterson, mentor dos Last Industrial Estate, o nevoeiro é novamente trilhado, dando a ideia de que o legado final do grupo se manteve eternamente intacto. Em certa medida, esse legado permanece pois, contrariamente ao que se passa vulgarmente neste tipo de música, Wolfskin soube afastar-se dos clichés, criando uma obra opressiva e evocativa, baseada em colagens hipnóticas de sons com alma. O capítulo é definitivamente encerrado num concerto dado no dia 16 de Fevereiro de 2009 na companhia dos portuenses Sektor 304. A título de curiosidade há ainda a referir duas edições extra-discografia oficial: o CD partilhado pela banda com os Der Feuerkreiner, editado em 2004 pela Terra Fria de Rui Carvalheira e o luxuoso bootleg "The Gather Of Shadows By The Setting Sun" lançado numa tiragem de apenas 99 exemplares numerados pela russa Corzar Records em 2002.

DISCOGRAFIA


THE HIDDEN FORTRESS [Tape, Forgotten Blood, 1995]


CAMPOS DE MATANÇA [CDR, Reaping Horde, 1998]


THE GATHER OF SHADOWS BY THE SETTING SUN [CDR, Ajna Offensive, 2001]


THE GATHER OF SHADOWS BY THE SETTING SUN [CD, Corzar Records, 2002]


TORNAR O SANGUE SAGRADO [CD, Cynfeirdd, 2002]


CAMPOS DE MATANÇA [CD, Essence Music, 2003]


CAMPOS DE MATANÇA [CD,CDR,Box, Essence Music, 2003]


UNTITLED [c/Der Feuerkreiner] [CD, Terra Fria, 2004]


O AJUNTAR DAS SOMBRAS [CD, Malignant Records, 2008]


THE HIDDEN FORTRESS: A REVISITATION [CD, Neuropa Records, 2008]


STONEGATES OF SILENCE [CD, Malignant Records, 2010]

COMPILAÇÕES


SOLIS ROTA [Tape, Forgotten Blood, 1996]


THE NEMETH [CDR, Reaping Horde, 1999]


INFERNAL PROTEUS [4xCD, The Ajna Offensive, 2002]


A FINAL TESTIMONY [2xCD, Seküencias De Culto, 2004]

FROZEN LIGHT [CDR, Essentia Mundi, 2006]


FALÉSIA 02 [2xCDR, Enough Records, 2008]

0 comentários: