06 fevereiro 2011

ONE HUNDRED STEPS



Os One Hundred Steps são mais um exemplo vivo de que a cidade de Setúbal constitui actualmente um dos berços mais prolíferos do cenário underground português. Incluindo na sua formação músicos que já passaram por colectivos como More Than A Thousand e Skapula (o grupo actualmente conhecido como Hills Have Eyes), o colectivo sadino começou por tomar forma no ano de 2001, altura em que os músicos começaram a compor juntos e a dar os primeiros concertos. Entre as já habituais mudanças de formação inerentes a qualquer projecto em fase de incubação, o sexteto foi desenvolvendo a sua sonoridade, aperfeiçoando a atitude e afinando as primeiras composições. Em 2002, um ano depois de terem começado a ensaiar juntos e ainda sem uma sonoridade totalmente definida, decidem entrar em estúdio pela primeira vez. Dessa sessão de gravação resulta "In Conformity Lies The Happy One", uma maqueta de estreia composta por cinco canções. Os dois anos seguintes são passados, entre a sala de ensaios e as salas de norte a sul do país, a aperfeiçoar a máquina e a escrever novas canções. Já com uma formação bastante sólida - Paulino (voz), Gonçalo (guitarra, voz), Tomás (guitarra, voz), Kasin (baixo, voz), Kauita (teclas, samples) e Raminhos (bateria) -, voltam a entrar em estúdio e, desta vez, registam cinco temas que representam uma enorme evolução em relação a tudo o que o colectivo tinha feito anteriormente. "You’re A Lovely Victim Of Emotional Chaos" é distribuída em 2005, suscitando reacções muito positivas e permitindo ao grupo começar a tocar ao vivo ainda com mais frequência. Em 2006 a banda decide voltar aos estudios Generator, novamente com Vegeta, para gravar mais 3 temas que, adicionados aos restantes já gravados, resultam nquele que foi o seu primeiro trabalho comercialmente editado: "The Eyes of Laura Mars". O resultado final foram 9 poderosos e emocionais temas que deixavam antever aquele que seria o primeiro álbum da carreira dos OHS. O álbum é um mergulho disperso por entre as correntes mais revoltas do rock – outras, nem por isso. Na verdade, a facilidade com que o sexteto sadino viaja durante o seu disco do pop ao metal - sem perder uma certa coesão interna – é simplesmente assustadora; o mesmo se passa quando viajam do emocore ao screamo - nada de estranho – ou do rock ao clássico de “Outro” – um pouco mais estranho. A forma desbragada e desinibida com que os One Hundred Steps o fazem, deixa-nos geralmente – e positivamente – alerta. Em 2008, o grupo regressa, pela terceira vez, aos Generator estúdios para, em duas semanas, gravarem o full-lenght intitulado "Human Clouds". A produção esteve, mais uma vez, a cargo de Vegeta e da própria banda, a mistura e masterização foi feita pelo conceituado Ricardo Espinha, que já conhecemos pelo seu trabalho com bandas os Icon & the Black Roses, More Than a Thousand, BlackSunrise, Hills Have Eyes entre outras. Mantendo um nível alto no registo de raiva, mais violento, é na componente mais emocional que “Human Clouds” mais impressiona. Sobressai a componente melódica, mais interessante e trabalhada. Se a melancolia dos amores e desamores paira sobre todo o disco, a cobertura destes pelos momentos de maior fulgor instrumental dá a “Human Clouds” o toque final, um lugar de destaque no panorama editorial do ano, considerado um dos melhores álbuns Portugueses realizados em 2009. O disco foi editado pela atenta Rastilho Records que havia, entretanto, assinado com a banda. Em finais de Fevereiro de 2010, a banda anunciou no seu myspace que iam parar por tempo indeterminando. Na altura, o grupo era formado por Paulino (voz), Gonçalo Tomas (guitarra), Danny (guitarra), Kasin (baixo) e Bruno (bateria). [Wikipedia]

DISCOGRAFIA

IN CONFORMITY LIES THE HAPPY ONE [CDR, Edição de Autor, 2002]


YOU'RE A LOVELY VICTIM OF EMOTIONAL CHAOS [CDR, Edição de Autor, 2005]


THE EYES OF LAURA MARS [CD, Edição de Autor, 2007]


HUMAN CLOUDS [CD, Rastilho Records, 2009]

COMPILAÇÕES


CÍRCULO DE FOGO 08: ETERNA [MP3, Círculo de Fogo, 2009]

0 comentários: