12 fevereiro 2011

PAULO PRAÇA



Paulo Praça nasce no início da década de 70 na cidade de Vila do Conde. Músico auto-didacta, inicia um extenso percurso musical nos anos oitenta com os Ulisses Cobarde e Os Heróis, seguindo-se depois inúmeros projectos como os TurboJunkie, Grace, Plaza, Cabaret Fortuna, participando também como músico convidado nos Três Tristes Tigres (digressão de 95/96), Sequoia (digressão de 1999) e GNR (digressão Popless 2000/02). Em 2007, Paulo Praça edita finalmente o primeiro registo em nome próprio “Disco de Cabeceira”, onde assume pela primeira vez as vocalizações em português, diversa instrumentação, arranjos e a co-produção do disco juntamente com Mário Barreiros. O disco resulta das gravações realizadas nos MB Estúdios entre Outubro de 2006 e Fevereiro de 2007. As letras das canções são da autoria do escritor valter hugo mãe. Das doze músicas que compõem o disco de estreia são escolhidos os singles “(Diz) a Verdade”, que chega a ser incluído na colectânea "Now 17" e “A Princesa Que Não Quis Ser Salva” (dueto com Ana Deus, co-autora da letra juntamente com valter hugo mãe). Para promoção do disco, realiza uma mini tour de 20 datas, sendo acompanhado pelos Bons Rapazes (Renato Dias - guitarra; Miguel Barros - baixo; André Hollanda - bateria) em cinco concertos. Em 2009, Paulo Praça atinge o sucesso comercial inserido no colectivo Hoje, ao lado de Sónia Tavares, Nuno Gonçalves (ambos dos The Gift) e Fernando Ribeiro (Moonspell), com o disco “Amália Hoje” contendo versões de canções popularizadas por Amália Rodrigues, que entra directamente para o 1.º lugar do top de vendas nacional e por lá se mantém durante um longo período, atingindo a múltipla platina. Ainda em 2009, Paulo Praça participa no disco “Longe” de Pedro Abrunhosa, integrando na guitarra os Comité Caviar que acompanham o músico em estúdio e nos concertos. Colabora igualmente no disco dos Denário “Pelo Prazer Descuidado de Estar Vivo”. Em finais de 2010, Paulo Praça regressa com um novo disco a solo “Dobro dos Sentidos”, trabalho iniciado em 2008 e continuado ao longo de um ano de trabalho ao ritmo de uma sessão por semana. Contando novamente com a colaboração de valter hugo mãe na maioria das letras (duas são da responsabilidade de Simão Praça) e com os convidados especiais Rui Reininho (no tema “Arquitecto da Ecologia”) e Mónica Ferraz, dos Mesa (no tema “Nascimento do Macaco Vermelho”). O disco foi gravado com a colaboração de André Indiana e tem produção a cargo dos Bitch Boys (Paulo Praça & Simão Praça) e masterização de Andy Vandette. Para primeiro single é escolhido o tema “Um Amor Alheio”. Em Outubro de 2010, apresenta ao vivo o novo álbum em dois concertos realizados no Teatro de Vila do Conde, sendo acompanhado por Renato Dias (guitarra), Eurico Amorim (teclados) e Nuno Sarafa (bateria). [Erradiador]

DISCOGRAFIA


DISCO DE CABECEIRA [CD, Som Livre, 2007]


A PRINCESA QUE NÃO QUIS SER SALVA [CD Single, Som Livre, 2007]


DOBRO DOS SENTIDOS [CD, iPlay, 2010]

COMPILAÇÕES


3 PISTAS 02 [2xCD, iPlay, 2009]

PRESS
Este disco vai Ficar na História, Miguel Azevedo, Correio da Manhã, 26-09-2010

2 comentários:

Paulo disse...

Adoro as músicas de Paulo Praça, principalmente a canção "Diz me a verdade". Ele é um cantor fantástico e melhor que alguns estrangeiros. Eu adorava ve-lo a cantar na TV (MTv Portugal). Infelismente o nosso povo parece dar só valor aos artistas estrngeiros. Isso é revoltante! Para mim ele é o melhor, podia ser um cantor internacional.

Paulo disse...

Porque é que ele não aparece na TV?