27 fevereiro 2011

RELTIH



Com o fim dos Mega TNT e dos Cactos do Deserto, surge na parte final de 1993 um novo grupo na área do crust em Portugal. Chamavam-se Relith e reza a lenda que o mais difícil foi arranjar um nome para o projecto. Como os elementos do mesmo eram confessos anti-nazis, decidiram inverter o nome "Hitler" numa perspectiva de oposição ao mesmo e ao seu significado e conotações. O grupo era formado por Pepe (voz), Paulo (aka Gordo, baixo), Daniel (guitarra) e Fanãn (bateria). Gravaram dois temas logo de rajada: "Já Não Sei" e "Hemorróidas". Entretanto Fanãn abandona o grupo ainda embrionário, sendo substituido por Daniel (que abandona a guitarra e assume a bateria), sendo admitido um novo guitarrista, Santos e Costa. Os Relith gravam então uma primeira maquete a que dão o título de ""Oxolou", onde é notória uma sonoridade muito influenciada pelos Ratos de Porão. Em 1994 actuam por diversas vezes, ganhando rodagem e compondo novos temas que, em 1995, serão gravados e farão parte da segunda maquete do grupo, "Bad Dream". Nesta, assumem uma sonoridade mais próxima do Death Metal/Trash Metal. Estas demos nunca chegaram a ser oficialmente, sendo distribuidas por um reduzido círculo de amigos. Lançaram ainda uma outra demo intitulada "Morte ao Fascismo". Em 1996 a banda assume-se em definitivo como crust, ficando a formação reduzida a Gordo e Daniel, juntando-se-lhes depois Pedro Marreta (guitarra), Luís (voz) e Nuno (voz). O grupo volta a entrar em estúdio para gravação de uma nova demo a que deram o título de "Morte ao Mete-Nojo". Incluindo algumas faixas da anterior demo, será esta a primeira edição oficial do grupo. Sons típicos do crust, temas com letras anarco-punk - anarquia, vegetarianismo, anti-fascismo, problemas ambientais, sociedade. Apresentam-se ao vivo em duas datas e nova alteração no seu seio se verifica. O grupo volta a ficar reduzido a Paulo Gordo e Daniel. Só em 1997, quando se decide gravar nova maquete, o grupo volta a assumir uma formação alargada com o regresso de Santos e a integração de Eduardo (aka Dudu). Como o dinheiro era pouco, o trabalho foi gravado num único dia num estúdio barato. Chamar-se-á "Palavras para Quê?". Sem razão aparente, os Relith sempre gravou algumas covers de bandas que a iam marcando ao longo dos tempos. Assim se compreende a existência de temas dos Subcaos, Psyco Possessor, Disrupt, Garotos Podres ou Crise Total nos seus trabalhos. Em 1998 o grupo dá por findo o seu trabalho mas, no ano seguinte, a pedido de um amigo brasileiro - Leonardo -, que dirigia a editora Luna Records, o grupo volta a reunir-se com vista à gravação do seu primeiro longa duração. Entusiasmados com o convite, os membros do seu núcleo duro decidem recrutar elementos para uma nova gravação. Assim surgem Luís (aka Gadelhas, voz) e Cláudio Cid (baixo), passando Paulo Gordo a assumir as cordas da guitarra. Preparamos as músicas, entra-se em estúdio e convida-se Hugo (aka Mosgo) dos Simbiose) para assumir a segunda voz. É assim que em finais de 1999 é editado o split LP com os Parental Advisory chamado "Welcome to The Other Dimension". O grupo actua algumas vezes e volta a cessar actividades. Em 2007, após 7 anos de hibernação, os Relith voltam a reunir-se. Paulo Gordo volta a juntar-se a Daniel (bateria) que, por sua vez, convida Gonçalo (baixo), Nuno (voz) e Sofia (voz). É assim, no Verão de 2007, que entram novamente em estúdio e registam aquele que será o seu segundo álbum, desta vez sem companhia. Intitulou-se "13 Years In Misery". Em 2010 o grupo dá por definitivamente acabada a sua existência.

DISCOGRAFIA


MORTE AO METE NOJO [Tape, Edição de Autor, 1996]


PALAVRAS PARA QUÊ? [Tape, Edição de Autor, 1997]


WELCOME TO THE OTHER DIMENSION [LP, Luna Records, 1999]


13 YEARS IN MISERY [CD, Zeroworks/Infected, 2009]

COMPILAÇÕES


CAOS EM PORTUGAL [CD, Fast'n'Loud, 1997]


CÍRCULO DE FOGO 07: LIVRE [MP3, Círculo de Fogo, 2008]

0 comentários: