20 abril 2011

NUNO PRATA



Nuno Prata nasceu em 1975 e teve a sua primeira banda, os Suares dos Reis no início dos anos 90, enquanto estudava na Escola Secundária Soares dos Reis, juntamente com Manel Cruz, Peixe e Kinorm, que dariam depois origem aos Ornatos Violeta, onde Nuno Prata se ocupava do baixo. Após o final dos Ornatos Violeta, Nuno Prata resolve gravar sozinho em Setembro de 2002 uma maqueta com doze temas intitulada “Todos os Dias Fossem Estes”, que serão depois a base do seu primeiro disco a solo. Em Setembro de 2003, alguns desses temas são regravados com o multi-instrumentista francês Nicolas Tricot (ex-Red Wings Mosquito Stings) resultando numa nova maqueta intitulada “Nuno, Nico”, com 4 temas: "Não Deixes de Querer Fugir"; "Nada é Tão Mau"; "Guarda Bem o Teu Tesouro" e "Já é Sábado". A composição foi da responsabilidade de Nuno Prata, enquanto Nico Tricot contribuiu decisivamente no desenvolvimento dos temas e nos arranjos. Realiza o primeiro concerto no Bar Carpe Diem em Santo Tirso em Janeiro de 2004. Em Setembro, integra o cartaz do Festival New Sounds of Portugal 2004 em Cascais. No final do ano, faz a abertura do concerto de Josh Rouse no Fórum Lisboa. Depois de sucessivos adiamentos começa as gravações do primeiro disco em Junho de 2005 na Casa do Covo, de Manel Cruz. As sessões seguintes decorreram em Agosto e Setembro, e no final do ano estava já masterizado por Nélson Carvalho no MB Estúdios. O disco, intitulado "Todos os Dias Fossem Estes/Outros", acabou por sair em meados de 2006, devido a diversos problemas com a edição. A edição de 3000 exemplares, com a chancela da Turbina, reúne 19 canções escritas entre 2000 e 2005. A capa do disco, que aproveitou a ideia da maqueta “Nuno, Nico”, dá a possibilidade do álbum ter dois títulos em vez de um, mas o seu formato inusitado foi um dos factores que mais complicou a edição do disco. Todas as canções foram gravadas por Nuno Prata e por Nicolas Tricot como o faziam ao vivo e nas músicas que o pediam, foram acrescentando pormenores com aquilo que tinham à mão: um pianinho de brincar, um dulcimer, um órgão desafinado adquirido numa loja de velharias. A canção “Alegremente Cantando e Rindo Vamos” conta com a participação de um coro de amigos: Peixe, Manel Cruz, Kinörm, Edu, Filipe, Ruca, André e Pepe. O disco é apresentado nas lojas FNAC e em diversos outros locais. A recepção do disco acabou por ficar aquém das expectativas, e Nuno Prata decide fazer uma pausa, que aproveita para concluir o curso de escultura na ESBAP. Em Julho de 2007, a convite de Henrique Amaro, grava o tema “Fala do Homem Nascido” para o disco de homenagem a Adriano Correia de Oliveira. Participa também na terceira série do 3 Pistas do programa Portugália da Antena 3, com os temas “Pergunta Estúpida” (que não foi gravada no disco), “Mudemos de Assunto” (versão de uma canção de Sérgio Godinho), “Não Deixes de Querer Fugir” e “Porque Sim”, tocadas na companhia de Nico Tricot (percussões, pianinho, flauta transversal, programação) e de António Serginho (marimba). Entretanto, em finais de 2008, começa a trabalhar na secção de discos na FNAC e sente novamente vontade de voltar a fazer música. Para se motivar, experimenta fazer uma versão do tema “Used to Be” dos Violent Femmes, para readquirir confiança e vontade para voltar a fazer as suas coisas. Em meados de 2009, tem cerca de vinte temas alinhavados para o novo disco. As gravações decorrem entre Setembro de 2009 e Maio de 2010 nos Estúdios O Nosso Gravador e a produção fica a cargo de Hélder Gonçalves (Clã, Humanos) sendo seleccionadas 12 canções para o alinhamento do novo disco, entre elas a versão dos Violent Femmes “Isso Foi Antes”. O disco intitulado “Deve Haver” é editado pela Arthouse em finais de Outubro de 2010, com design e ilustração de Marco Mendes. À semelhança do disco anterior todos os temas são tocados por Nuno Prata e Nicolas Tricot, e representam um sumário do trabalho desenvolvido desde que começou a escrever canções até 2009. O título do álbum vem de um livro de caixa em branco que Nuno Prata traz da casa do avô e que utiliza para escrever as suas letras. A apresentação ao vivo do disco ocorre no Festival Super Bock em Stock no início de Dezembro, realizando depois muitas outras apresentações pelo país. Nuno Prata é um excelente escritor de canções, misturando apontamentos atentos do quotidiano, a dose certa de ambiguidade, um refinado sentido de humor e de auto-irrisão, emoções sinceras ou filtradas, tudo isto com um cuidado extremo no burilar dos textos. Nuno Prata costuma referir como suas influências os Ornatos Violeta, Caetano Veloso, Chico Buarque, Violent Femmes, Sérgio Godinho e podemos acrescentar JP Simões. No entanto, essas influências não são imediatamente visíveis no seu trabalho, mesmo as versões que fez das canções dos autores citados, surgem transfiguradas numa outra coisa, surgem como se fossem canções de Nuno Prata. [Erradiador]

DISCOGRAFIA


NUNO, NICO [CDR, Edição de Autor, 2003]


TODOS OS DIAS FOSSEM ESTES/OUTROS [CD, Turbina, 2006]


DEVE HAVER [CD, Arthouse, 2010]


NUNO PRATA [CD, Edição de Autor, 2014]

COMPILAÇÕES


ACORDA! NOVA MÚSICA PORTUGUESA EM MP3 [CD, Cobra Records, 2006]


ADRIANO, AQUI E AGORA: O TRIBUTO [CD+DVD, Movieplay, 2007]


3 PISTAS VOL 2 [2xCD, iPlay, 2009]


BONS SONS [2xCD, SCOCS, 2012]


VOZ E GUITARRA 02 [2xCD, Sony, 2013]

PRESS
Sintetizador, Eduardo Sardinha, Blitz 1004 de 27-01-2004
Perdi demasiado tempo a tentar mostrar o disco, Cláudia Luís, JN, 28-12-2006
Há testemunhas de que ele existe, Cláudia Luís, JN, 21-01-2007
Nuno Prata regressou no tempo certo, Mário Lopes, Ípsilon, 24-11-2010
As letras são questões que tento resolver, Blitz, 01-2011

0 comentários: