15 agosto 2011

TENNESSEE BOYS



Oriundos do Porto, os Tennessee Boys foram uma das mais influentes bandas rockabilly portuguesas. Criados em 1990 a partir de dois anteriores grupos - Freddy'n'Th Cool Boys e Teddy Shakers -, foram sempre cultores de uma sonoridade rockabilly pura própria da década 50. Liderados por Alfredo Fontes (voz), assumiram que só veriam alguma repercussão do seu trabalho se o exportassem e foi realmente por essa via que criaram uma carreira discográfica deveras promissora. A completar a formação estavam ainda Jorge Fortunato (guitarra), Mike Traveira (guitarra), Pedra Serra (bateria) e Nuno Alexandre (baixo). Em Portugal, para além de alguns artigos surgidos nalguma imprensa escrita, tiveram apenas oportunidade de actuar ao vivo na RDP numa sessão que reconhecidamente não correu da melhor forma. em 1992 o grupo foi contactado pela Rockhouse Records, uma editora holandesa, com vista à participação do projecto numa compilação com bandas europeias que viria a sair em Outubro de 1993 sob a designação "Rock'n'roll Around The Turn of The Century Vol.2". Os Tennessee Boys gravam em Abril de 1992 as faixas "Bourbon & Scotch" e "Rockabilly In Tennes­see", que são muito bem recebidas. O quinteto passa, contudo, em Dezembro de 1993, a quarteto, com o abandono do vocalista Speci Alfredo Pontes. É por ess altura que deixam o purismo do rockabilly para abrirem a sua sonoridade a outras tendências como o "Deep South", mais conservador e tradicional. O baterista Pedro Serra acumula então a função de responsável pela parte vocal. É por essa altura que o grupo assume a necessidade de evoluir, torneando a limitação que um país como o nosso lhes impunha. Juntaram as economias e rumaram em Agosto de 1995 até Denver, no estado do Colorado, nos EUA. Nessa localidade gravam para a Rock-a-Billy Record Company, uma das editoras do género mundialmente mais prestigiada, propriedade de Willie Lewis, que com eles actuará esporadicamente nalguns bares e noutras salas locais. As portas abrem-se então como nunca poderia ter ocorrido no nosso país. Gravam então dois álbuns - "Rockabilly Ball" e "Tennessee Bill & Tennessee Boys", este último em parceria com o próprio grupo de Willie Lewis -, mas por motivos que nunca saberemos, os discos não são editados. Das sessões registadas, foram seleccionados 12 temas que, sob a designação "Burning Miles; The Lost Sessions vol.1" serão apenas editados em 2005 pela El Toro Records de Barcelona. Após a dissolução do grupo, alguns dos seus membros farão parte dos 49 Special.

DISCOGRAFIA

FIRE OF FAITH [7"Single, Diadem, 1994]
DIG BOY DIG [10"EP, Tail Records, 1997]


7-ROCK, ROLL & RHYTHM [12"Maxi, El Toro, 1997]


LIVE FAST, LOVE HARD, DIE YOUNG [CD, El Toro Records, 2000]

BURNING MILES [CD, El Toro Records, 2005]

COMPILAÇÕES


RITUAL ROCK 01 [CD, Numérica, 1995]

PRESS
Rockabilly Rebels, Fernando Dias, Ritual nº5 de 05-1992
O Continuar da Tradição, Raquel Pinheiro, Blitz nº 400 de 30-06-1992
Tennessee Boys, Fernando Dias, Ritual nº8 de 1995
Laca, Jorge Manuel Lopes, Blitz nº 548 de 02-05-1995
Querida, Arrasei a Audiência, Jorge Manuel Lopes, Blitz nº 594 de 19-03-1996

1 comentários:

sergio1973 disse...

Desde 1989 que acompanhei esta grande banda de Rock and Roll, tive o grande prazer de ser amigo pessoal da banda e do seu grupo de fãs directo!
Grandes noites de Rock pelos bares da cidade do Porto.
Se algum dia virem este comentário Tennesse Boys daqui um grande abraço do vosso amigo Sérgio (Stop).