26 setembro 2011

DANCE DAMAGE



Estranhamente, no início deste século, surgiram inúmeros projectos musicais completamente desalinhados das genealogias habituais trilhadas pelas bandas em Portugal. Tendo Os Loosers como ponta-de-lança deste movimento, diversas outras bandas como os Frango, CAVEIRA, Osso, Fish & Sheep, Lobster, Barcos, Phoebus, One Might Add, e muitos outros lançaram-se numa aventura onde gravavam e editavam os seus próprios discos, eram responsáveis pelo agendamento dos seus concertos, tratavam do grafismo dos seus discos e dos cartazes dos concertos, tudo num espírito muito do-it-yourself herdeiro do movimento punk. Em termos de sonoridade o espectro era diversificado e abrangente incorporando elementos do noise, da música experimental, do free-jazz, da electrónica, influências do período pós-punk, do krautrock, e do psicadelismo mais delirante. Este movimento não se limitou a Lisboa e à sua cintura metropolitana, tendo também cultores no Norte de Portugal, com especial destaque para os dAnCE DAMage oriundos de Santo Tirso. Formados em finais de 2003 por Pedro Magina (voz, teclas e percussão), André Abel (guitarra, teclas, drum machine) Filipe Martins (bateria) e Tiago Ferreira (guitarra e drum machine). Como curiosidade, registe-se o facto de Filipe Martins, que inicialmente tocava baixo, ter aproveitado uma pausa durante um ensaio para começar a tocar bateria de uma forma tão estranha e tão brutal, que levou a banda a abdicar do baixo em favor da bateria. Pouco tempo depois da sua formação, a banda realiza o seu primeiro concerto na véspera do Natal de 2003 no “Carpe Diem” em Santo Tirso. No inicio do ano seguinte, gravam a sua primeira maqueta intitulada “Don’t Pray in Public”, seguindo-se o cd-single “Pilgrimage”, ambos os registos a denotarem as principais influências apontadas pela banda neste período: Can, Liquid Liquid, Pere Ubu, The Fall, PIL, Einsturzende Neubauten, Neu, Cabaret Voltaire, Captain Beefheart, A Certain Ratio. É notória, também, a proximidade do estilo das vocalizações de Pedro Magina ao praticado por bandas como os The Rapture e os portugueses X-Wife. Em meados de 2004, o guitarrista Tiago Ferreira suspende a sua participação na banda, indo para a Lituânia durante um semestre no âmbito do Programa Erasmus. Reduzidos a três elementos, os dAnCE DAMage apresentam um som com características mais improvisadas e noise. Em Janeiro de 2005, Tiago Ferreira regressa à banda para voltar a sair definitivamente dois meses depois. Não obstante, o ano de 2005 revela-se muito produtivo para a banda, sucedendo-se as edições discográficas e os concertos, ao passo que a sonoridade da banda vai evoluindo e alterando-se gradualmente, desprendendo-se das referências iniciais. Ao nível das edições, gravam 50 cópias de “Pressure Cabin Insignia” com três temas, que distribuem durante os concertos que vão realizando. Segue-se em Abril o CD-R “Level Your Hearts At Dawn” com sete novos temas, com uma tiragem de 100 exemplares. Em Maio, registam “Excavator”, um CDR-Single com dois temas. Por fim, em 2006 sob a designação Dansse Damaje gravam em parceria com os Frango, o split CD-R “FuentezFuentezFuentez” editado pela Searching Records. No decurso de 2006, a banda dá por findas as suas actividades, implodindo numa miríade de novos projectos como os Tropa Macaca (André Abel), Aquaparque (André Abel e Pedro Magina), Veados com Fome e Cavalheiro (Tiago Ferreira).

DISCOGRAFIA

DON´T PRAY IN PUBLIC [Tape, NemNuncaDiscos, 2004]


PILGRIMAGE [CDR, NemNuncaDiscos, 2004]

PRESSURE CABIN INSIGNIA [CDR, NemNuncaDiscos, 2005]
LEVEL YOUR HEARTS AT DAWN [CDR, NemNuncaDiscos, 2005]
EXCAVATOR [CDR, NemNuncaDiscos, 2005]


FUENTEZFUENTEZ [c/Frango] [CD, Searching/Lovers&Lollypops, 2006]

PRESS
Pronto-a-Servir, Sérgio Gomes da Costa, Blitz 1043 de 26-10-2004
Destruir: Dizem Eles, Sérgio Gomes da Costa, Blitz 1049 de 07-12-2004
Danos Irreversíveis, Jorge Manuel Lopes, Blitz 1056 de 25-01-2005

0 comentários: