19 setembro 2011

PEDRO E OS APÓSTOLOS



O líder do projecto Pedro e os Apóstolos, Pedro de Freitas Branco, tocou os seus primeiros acordes numa Fender Telecaster do pai, Luís de Freitas Branco que pertenceu aos Claves. Em 1988 formou uma banda que de versões chamada Os Gatos Voadores. Nessa altura, Pedro conciliava a música com o curso de Teatro e Cinema que estava a tirar no Conservatório Nacional até que, no final do ano, optou por se centrar apenas na sua carreira de actor, integrando Grupo de Teatro Maizum. No entanto, em 1989, para além do teatro, reatou a ligação à música, voltando a tocar em bares. Em simultâneo era jornalista no semanário "O Independente". Quando em 1991 conhece Alexandre Manaia, grava alguns originais seus em formato maqueta. É por essa altura que recruta Pedro Soares (baixo, guitarra, voz), Duarte Loureiro (guitarra, voz) e Gustavo Aires Mateus (bateria) que o irão acompanhar a partir de 1992 sob a designação de Pedro e os Apóstolos. Em 1993, o grupo enviou a sua primeira demo para algumas rádios obtendo algum airplay nas de cariz mais comercial que rapidamente aderiram ao pop-rock praticado. A maquete incluia três temas, "Luz Trémula", "Aprender a Voar" e "Sem Brilho nem Glória". O seu primeiro concerto teve lugar no Auditório do BESCL em 6 de Outubro de 1992, actuando depois no programa de televisão "Sons do Sol", da autoria de Júlio Isidro. Em 1995, Pedro de Freitas Branco envereda também pela literatura juvenil e, em parceria com António Avelar de Pinho, edita no mês de Março o primeiro volume da colecção "Os Super 4". No ano seguinte, Pedro e os Apóstolos assinaram um contrato discográfico de três anos com a Vidisco, tendo o primeiro álbum, "Mesmo Para Quem Não É Crente", sido editado no final de 1996. Em 1997, Pedro aceita o convite para integrar o projecto Heróis do Rock. No ano seguinte, a formação de Pedro e Os Apóstolos sofreu algumas transformações: o baterista Gustavo Aires é substituído por João Soares e Pedro Soares troca o baixo pela guitarra, deixando-o a cargo de Nuno Correia. O segundo álbum do grupo, "Momentos", viu a luz do dia em 1998, e teve a participação de Alexandre Manaia bem como da cantora Paula Teixeira, do percussionista José Salgueiro, do guitarrista Dudas e do pianista Rui Almeida. Em Setembro do ano seguinte foi editada uma compilação chamada "Faz Figas: O Que Fica Do Que Foi", que incluía as melhores faixas dos dois álbuns até então editados às quais foram ainda acrescentadas dois temas inéditos. O regresso aos originais deu-se em 2002 com um álbum curiosamente intitulado "Formigas em Férias". Após o final da banda, Pedro de Freitas Branco emigra para o Brasil, formando os White. [Maria João Serra]

DISCOGRAFIA


MESMO PARA QUEM NÃO É CRENTE [CD, Vidisco, 1996]


MOMENTOS [CD, Vidisco, 1998]


MOMENTOS [CD Single, Road Records, 1998]


FORMIGAS EM FÉRIAS [CD, Vidisco, 2002]


FORMIGAS EM FÉRIAS [CD Single, Vidisco, 2002]


FAZ FIGAS [CD, Road Records, 2002]


NO MEU CÉU [CD Single, Road Records, 2002]

COMPILAÇÕES


SER JOVEM SEM DROGA [CD, Vidisco, 1997]


HERÓIS DO ROCK [CD, Vidisco, 1997]


HERÓIS DO ROCK [CD, Vidisco, 1998]


SOU METADE SEM TI [CD, Road Records, 2002]

0 comentários: