15 abril 2012

CMYK



Inicialmente Obus e a funcionar como trio, os CMYK assumem a sua designação em 1998 passando a ter nos seus quadros, Daniela Basílio (voz), Francisco Furtado (guitarra e voz), Hugo Gustavo (baixo) e Ricardo Lourenço (bateria). As alterações não estiveram relacionadas com a mudança de nome, antes foram definidas por uma ruptura com a anterior sonoridade. Tudo começou com a junção do guitarrista Francisco Furtado, do baterista Ricardo Lourenço (ex-Alegre Escumalha) e do baixista Hugo Gustavo. Os Obus eram praticantes de um punk hardcore incipiente mais imposto pela incapacidade técnica e pela verdura das idades dos seus membros que por opção própria. De qualquer forma, o grupo denotava já vontade de fazer música imbuída de "uma tentativa de inovar as estruturas musicais desta antiga fórmula". Após dois anos de ensaios e de concertos, em 1998 surgiu a necessidade de integrar um vocalista solto, dado que, até à data, as vozes haviam estado a cargo de Francisco Furtado, com Hugo Gustavo a dar-lhe apoio. Daniela Basílio entra numa altura em que o som da banda começava a sofrer algumas transformações, aproximando-se mais de um estilo alternativo. Com o evoluir dos ensaios, o som foi-se alterando progressivamente e os Obus transformam-se nos CMYK. Este nome (ler ""semique") significa "um sistema de mistura de cores em artes gráficas, Cyan-Magenta-Yellow-Black", explicava o grupo na altura das suas primeiras entrevistas. Projectos e músicos tão diversos como The Police, Incubus, Bjõrk, Placebo e Frank Zappa eram algumas das referências abertamente assumidas pelos seus elementos, influenciando aquilo que faziam. Desde a sua formação, os CMYK actuaram no Marquês Rock Club (Tocabrir'97), no Rookie, no VI Festival de Música Moderna de Loures e no Seixal Rock 2001. Posteriormente houve um outro grupo com a mesma designação, este ligado à experimentação e liderado por Jorge Trindade (aka Travassos).
DISCOGRAFIA


CMYK [CDR, Edição de Autor, 2001]

COMPILAÇÕES


PROMÚSICA 54 [CD, Promúsica, 2001]


VI FESTIVAL MÚSICA MODERNA LOURES [CD, CM Loures, 2001]

PRESS
Destaques, Promúsica 54 de 07-2001

2 comentários:

Anónimo disse...

Lembro-me de ler o nome desta banda em alguma revista prómusica. Não terão temas em alguma das compilações?

Phelan disse...

Tenho alguns dos temas desta banda em MP3, contactem-me se estiverem interessados.