16 agosto 2013

NEW CONNECTION



Os New Connection surgiram em finais de 2000 e apesar do seu potencial, acabaram por não concretizar totalmente as expectativas que foram gerando. A banda era constituída por Sandra Cachaço (voz), Gonçalo Leitão (guitarra), Pedro Antunes (baixo) e Cali (bateria). Em 2002, entra Torré (ex-Coty Cream) para a segunda guitarra e saxofone. Na sequência de uma série de concertos realizados no teatro “A Barraca” ganham balanço para participarem (e até vencerem) em concursos de bandas. Em 2003, vencem o Concurso de Bandas de Garagem da Câmara de Odivelas e aparecem no programa da SIC Radical “Cabaret da Côxa”. Em Junho desse ano gravam a primeira maqueta com 5 temas que espelham a sonoridade da banda ainda em fase evolutiva, ancorada no trip-hop muito em voga na época, mas procurando alargar o espectro a outras paragens, como o tema ”Momente”. Em quase todas as faixas da maqueta a vocalista vai alternado vários idiomas (alemão, francês e inglês), por vezes na mesma faixa. Curiosa é também a participação do convidado João Alves (The No-Counts Doctrine of Mayhem) tocando cítara no tema “Smoke Fantasy”. Em 2004 participam no 8º Festival de Música Moderna Rockastru’s 2004, no Kastru’s Bar em Forjães, Esposende. Ainda em 2004 vencem o 6º Concurso Música Moderna de Santa Maria Feira – Rocktaract e o Lousã Rock 2004. No ano seguinte participam com 2 temas na compilação Phono 05 editada pela Fonoteca de Lisboa. Um desses temas “Little Tommy” irá integrar o disco “Guts” editado no ano seguinte. Este novo registo, inaugurando as edições da Mouraria Records, foi produzido por Pedro Alçada (outro membro dos Coty Cream) e apresenta uma significativa evolução na sonoridade da banda. Como o nome do disco prenuncia, os New Connection apresentam um som mais cru e visceral, urgente como só o bom rock sabe ser. Os seis temas de “Guts” foram gravados num único dia, captando toda a energia da banda. Em “Guts”, os New Connection conseguem aliar amadurecimento e consistência, criando temas complexos e vibrantes, mas mantendo uma urgência juvenil, reminiscentes de algumas das bandas mais interessantes do período pós-punk e das vagas subsequentes. Em 2006, vencem o XI Festival de Música Moderna de Corroios, cujo prémio é a edição do seu terceiro e último registo intitulado “Brains”. Ainda em 2006, integram o lote de quatro projectos finalistas do Equalizador LX, tendo ficado em segundo lugar. Nos diversos concertos que vão realizando ao longo da sua existência, os New Connection apresentam no seu repertório ao vivo vários temas dos quais não deixam registo fonográfico como: “Tiny Cosy Jacket”, “Sorry Honey”, “Box 8”, “Mary Jane”, “Failed Try”, “Galaxy”, “Mysterons” (versão de tema dos Portishead), “Mess”, “Notre Dance”, “The Model” (versão de tema dos Kraftwerk). Após o final dos New Connection, António Ramos (Torré) e Gonçalo Leitão formaram Os Cactos, explorando uma faceta mais experimental. Sandra Cachaço tem desenvolvido um percurso ligado à composição e interpretação ligado à performance e dança contemporânea.

DISCOGRAFIA


DEPARTURE TO THE PAST [CD, Edição de Autor, 2003]


GUTS [CD, Mouraria Records, 2006]


BRAINS [CD, Junta de Freguesia de Corroios, 2006]

COMPILAÇÕES


PHONO'05 [CD, Fonoteca de Lisboa, 2005]

2 comentários:

António Ramos disse...

Olá Torré,

Obrigado pelo divulgação. Neste momento estou a acabar o disco do meu projecto a solo "Sax on the road", quanto a "Os Cactos" está em standby... Ultimamente também estive ligado a 2 projectos de spokenword, Poetry Sux e os Tapete. É verdade também fiz parte dos Perve. Qualquer coisa antoniooliveiraramos@gmail.com
Um abraço

António Ramos disse...

o Torré sou eu próprio eh eh... é só Olá.