22 janeiro 2014

BRAINWASHED BY AMALIA



“Os Brainwashed By Amalia formaram-se em 2000 entre as brumas suburbanas do Cacém numa época em que gostar de rock setenteiro era tabu em Portugal. Misturando elementos high energy com psicadelia, distinguiam-se das bandas da altura na medida em que assumiam sem pudores referências de classic rock considerado pela maior parte do público português como datado e sem interesse estético. Os seus concertos eram vistos como um assalto sónico provocando reacções comparáveis a um compêndio de doenças mentais. Isto porque em 2000, os Brainwashed By Amalia já traziam à luz do dia armas esquecidas da alteração da mente. Estes putos do Cacém não tinham praia nem campo… mas tinham os Hawkwind, os MC5 e os Sonic Youth. Por entre o betão da freguesia nada popular mas mais populosa da Europa, os Brainwashed By Amalia combinavam elementos aparentemente incompatíveis criando assim uma sonoridade singular.” Foi assim anunciado o regresso dos Brainwashed By Amalia para um concerto único a propósito da comemoração dos dez anos passados desde a realização do Sonic Fest, um pequeno festival que decorreu nos dias 4 e 5 de Julho de 2003 e que apresentava no cartaz além dos Brainwashed By Amalia, os Lemur, Bypass, Marbles e Katabatic. Este foi o primeiro evento organizado pela denominada Brigada Surreal constituída por membros dos Brainwashed By Amalia e dos Lemur, que se dedicou a organizar diversos eventos que dinamizaram o espaço do Grupo Dramático e Escolar “Os Combatentes” em Lisboa. A formação inicial dos Brainwashed By Amalia era constituída por André Silva (bateria) Carlos Ferreira (baixo e voz) e Tiago Silva (guitarra). Em 2001, gravaram a maquete de apresentação “Confused by Gravity” com os temas “Move On”, “Miles Away (From What You’re Used To)” e “E.M.A.”, servindo de pequena amostra da sonoridade da banda, que sempre soube exprimir-se melhor nas actuações ao vivo. Influenciados pelo krautrock, psychedelia e space rock, a banda explorava divagações eléctricas carregadas de decibéis, crescendos épicos alternados com minimalismo derivado dos ritmos primitivos e hipnóticos oriundos dos seus artesanais engenhos electrónicos. Ao longo dos cinco anos de actividade, os Brainwashed By Amalia realizaram diversos concertos com destaque para a participação na Festa do Avante 2002, no Festival Tejo 2003, bem como na quarta edição do Sleazeyfest realizado em Londres em 2003, onde apresentaram na companhia dos Freewheeler o seu split-CD. Intitulado “Truck Driver Heaven”, o disco apresenta três temas dos Brainwashed By Amalia, gravados com Astro na guitarra e ainda com André Silva na bateria, que logo de seguida abandonaria a banda, sendo substituído por João Arsénio. Em 2004 iniciaram as gravações do que seria o seu primeiro longa-duração a ser editado no ano seguinte, o que nunca chegou a concretizar-se, pois a banda dissolveu-se, tendo os seus membros criado ou integrado diversas outras formações. André Silva (Raw, Mute, Shadowsphere, Tearful, Theriomorphic, Bellenden Ker, etc.) reencontrou Carlos Ferreira nos Dawnrider. O mesmo Carlos Ferreira (The No-Counts DOM, Mamute, etc.) juntamente com João Arsénio formaram os Asimov.

DISCOGRAFIA


CONFUSED BY GRAVITY [CDR, Edição de Autor, 2001]


TRUCK DRIVER HEAVEN [c/Freewheeler] [CD, Sleazey Records, 2003]

COMPILAÇÕES


TOCABRIR 2001 [CD, Câmara Municipal de Lisboa, 2001]


RAMPA DE LANÇAMENTO 2002 [CD, Câmara Municipal de Sintra, 2002]


TALENTOS DO TEJO 2004 [CD, Metrodiscos, 2004]

0 comentários: