17 maio 2014

FISH & SHEEP


Os Fish & Sheep foram um duo formado por Afonso Simões (Phoebus, Cúria, Braço, Manta Rota, Gala Drop) e Jorge Martins (Frango, Ivone). Começaram em sessões de improvisação livre em 2004, partindo da junção da bateria e da guitarra, produzindo uma sonoridade fortemente visceral nas margens do rock mais transgressor. O primeiro concerto ocorreu em Fevereiro do ano seguinte na Galeria Zé dos Bois (ZDB) em Lisboa. Estrearam-se nas gravações com o CD-R “Mix Sex With Stupid” captando parte de uma actuação na Galeria Zé dos Bois e um pedaço de um concerto no bar “O Meu Mercedes é Maior que o Teu” no Porto. A guitarra e a bateria são recursos manipulados para produzir uma massa sonora angular, repleta de fisicalidade e feedback, na vertigem do rock mais exploratório, mas com pontos de contacto também com o jazz libertário. Foram desafiados por Fua da editora Lovers & Lollypops para lançarem em conjunto com os Tropa Macaca um split-CDR denominado “Para o Inferno com Eles” que apresentaram ao vivo no Passos Manuel, no Porto. Restringirem-se a uma guitarra e bateria, nunca constituiu uma limitação para o duo, tendo inclusive abdicado da bateria em alguns concertos, nos quais utilizaram circuitos fechados e uma data de delays, embora considerassem que estavam mais confortáveis com a bateria. Não obstante, a sua música integra perfeitamente outros elementos como a manipulação electrónica ou mesmo instrumentos como o saxofone e o baixo. Tendo começado como improvisação pura, havia ao mesmo tempo uma certa procura. Quando sobem para o palco, o seu lugar natural, têm sempre controlo sobre a situação, resultante do profundo conhecimento das linguagens de cada um, recorrendo a meios e artifícios para chegar a uma coisa mais pura, nada exuberante. Uma musicalidade física, crua, menos cerebral, disparada a toda a velocidade em milhares de explosões permanentes. Inseridos num movimento que surgiu no início do novo milénio, integrando bandas como os Loosers, CAVEIRA, Frango, Tropa Macaca e outros, tocando em locais como a ZDB e o Lisboa Bar, partilhando espaços e edições fora do circuito comercial, motivando-se uns aos outros, para darem um concerto melhor do que aquele que viram, marcaram um período de forte efervescência musical. Depois de sucessivos adiamentos, lançam o disco “Double Banana” numa edição de 100 exemplares pela Ruby Red Editora. Dado que a banda considerava que nenhum dos CD-R editados era minimamente satisfatório relativamente aquilo que faziam ao vivo, o novo registo estava muito próximo da energia dos concertos do duo. Produzido por Nathan Lively, o disco foi gravado no espaço Incrível Almadense, onde improvisaram um estúdio num dos corredores, trabalhando lá ininterruptamente durante três dias. Pela primeira vez, o duo gravou algumas músicas pensadas e ensaiadas antes da gravação, tendo aplicado overdubs num dos temas. Os Fish & Sheep entraram em hibernação forçada após a saída de Jorge Martins para os Estados Unidos, reaparecendo ocasionalmente para alguns concertos.

DISCOGRAFIA

MIX SEX WITH STUPID [CDR, Edição de Autor, 2005]

PARA O INFERNO COM ELES [c/Tropa Macaca] [CDR, Lovers & Lollypops, 2005]


TRACY CHAPMAN LORDS [CDR, Searching Records, 2006]


CARAVANA DO ESTRILHO [c/ Caveira+Tropa Macaca] [CDR, Edição Autor, 2006]


DOUBLE BANANA [LP, Ruby Red, 2006]


DEAD NUNS RISING [Tape, Silver Ghosts, 2007]

COMPILAÇÕES


ANIMAL REPETITIVO [CDR, Searching Records, 2005]


RIPPERS AND CREEPERS 01 [Tape, Pendu Sound Recordings, 2007]

0 comentários: